Portugueses são os que compram mais MDD na Europa

marca-branca_2A propósito do Dia Mundial da Poupança, que se celebra amanhã, o Observador Cetelem divulgou um estudo que revela que os consumidores portugueses são os que apresentam uma maior tendência de compra de produtos menos caros, como produtos de marca branca ou de distribuidores (MDD), com 97% dos inquiridos, contra uma média europeia de 85%.

De acordo com o Observador Cetelem, o estudo revela que o “consumidor actual surge num modo alternativo: com novas restrições financeiras, mais racional na hora de comprar, maiores preocupações pelo meio ambiente e sem dispensar a consulta de informação na Internet”. Uma tendência que “é mais acentuada em Portugal”, acrescenta.

O estudo revela que os consumidores portugueses são os que têm maiores intenções de trocas de serviços ou produtos (75%, contra uma média europeu de 55%) e utilização de sites de compras em grupo (81%, comparativamente com uma média europeia de 61%). Além disso, 66% dos inquiridos portugueses prefere “colocar dinheiro de parte para protecção no futuro, em vez de consumir”, e 95% pretende “limitar as despesas ao essencial nos próximos anos”, contra uma média europeia de 67 e 87%, respectivamente.

O inquérito revela ainda que 88% dos portugueses “utiliza comparadores de preços na internet” e 41% espera “recorrer com maior frequência às redes sociais no futuro para fazer compras”, o que compara com uma média europeia de 78 e 29%, respectivamente. «A Internet aproximou os consumidores das marcas, o que as obriga a ter um comportamento mais responsável e contacto directo com os seus clientes. Neste sentido, mesmo com o aliviar da crise, a revolução tecnológica já alterou definitivamente o acto de consumo tradicional e a imagem do consumidor vinculado, desinformado e condicionado deixará de existir no futuro», sublinha em nota de imprensa Diogo Lopes Pereira, director de Marketing do Cetelem.

O estudo do Observador Cetelem resulta de inquéritos a mais de 6500 pessoas (pelo menos 500 indivíduos por país, com idade superior a 18 anos) através da Internet, em 12 países europeus – Alemanha, Bélgica, Espanha, França, Hungria, Itália, Polónia, Portugal, República Checa, Roménia, Reino Unido e Eslováquia. Os inquéritos foram realizados entre Novembro e Dezembro de 2012, em parceria com o gabinete de estudos e de aconselhamento BIPE, com base num inquérito conduzido por TNS Sofres.

Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Câmara de Lisboa vai contratar mais de 500 pessoas em diversas áreas
Automonitor
Hyundai NEXO: 6 coisas que precisa saber