Vendas da dona do Blackberry caem 31% no segundo trimestre

A Research in Motion (RIM), fabricante canadiana do Blackberry, obteve um prejuízo de 235 milhões de dólares (aproximadamente 181,7 milhões de euros) no segundo trimestre fiscal, contra um lucro de 329 milhões (254,3 milhões de euros) no mesmo período do ano passado. Este é já o terceiro trimestre consecutivo em que a empresa apresenta perdas.

No trimestre fiscal que terminou a 1 de Setembro, as receitas da RIM afundaram 31% em termos homólogos para 2,9 mil milhões de dólares (2,24 mil milhões de euros), de acordo com um comunicado da empresa, citado pelo The Wall Street Journal. No período em análise, as vendas de dispositivos Blackberry fixaram-se em 7,4 milhões de unidades, abaixo dos 10,6 milhões de equipamentos comercializados há um ano atrás.

Ainda assim, o prejuízo ficou abaixo do estimado pela maioria dos analistas, o que animou os investidores e levou as acções da empresa a subirem cerca de 25%, segundo a agência Bloomberg. A RIM conseguiu, desta forma, aumentar a sua reserva de capital de 2,2 mil milhões de dólares (1,7 mil milhões de euros) para 2,3 mil milhões (1,78 mil milhões de euros).

A RIM tem perdido constantemente terreno para a Apple e a Samsung, e a difícil situação financeira já obrigou a empresa a adiar o lançamento do seu próximo sistema operativo, o Blackberry 10. O novo sistema, que será acompanhado de uma gama de smartphones da marca sem o tradicional teclado físico, não estará disponível antes do primeiro trimestre de 2013.

Para além de todas as contrariedades internas, a empresa espera um resto de ano fiscal ainda mais complicado, sobretudo depois de algumas das suas rivais, como a Apple, já terem lançado no mercado os seus mais recentes modelos. «A tendência será para que o mercado se torne mais duro e desafiante, à medida que novos produtos são disponibilizados», afirmou Thorsten Heins, CEO da RIM, citado pelo The Wall Street Journal.

Para tentar contrariar o ciclo de perdas, a empresa tem em marcha um plano de restruturação para poupar cerca de mil milhões de dólares em despesas, através do despedimento de cinco mil funcionários (o equivalente a 30% da sua força laboral) e do encerramento de fábricas. Até agora, a empresa já eliminou dois mil postos de trabalho, sendo que o processo de despedimentos deve estar concluído até ao final deste ano fiscal.

Desde 2008, o valor das acções da RIM, que até já foi líder no mercado norte-americano dos smartphones, já caíram cerca de 90%.

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Patrões portugueses são os menos instruídos da Europa
Automonitor
História: O dia em que o Papamóvel foi salvo