Sumol+Compal com prejuízos de 1,7 milhões de euros

sumol-compal-redimensionada1Nos primeiros seis meses do ano, a Sumol+Compal obteve um resultado líquido negativo de 1,7 milhões de euros, valor idêntico ao observado no período homólogo do ano passado, anunciou a empresa em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

Entre Janeiro e Junho, o volume de negócios da Sumol+Compal manteve-se praticamente inalterado, em termos homólogos, em 135 milhões de euros, “isto apesar do agravamento fiscal nos mercados de bebidas de alta rotação, também o clima recessivo da actividade económica em Portugal e das condições climatéricas desfavoráveis”, ressalva a empresa.

As vendas da companhia recuaram 1,1%, para 129,4 milhões de euros, penalizadas por uma quebra de 7,2% no mercado português, para 92,4 milhões de euros. Já as exportações subiram 18,6%, para 37 milhões de euros, representando o mercado internacional cerca de 30% das vendas globais.

«Em Portugal, as vendas foram influenciadas negativamente, no primeiro semestre, por um ritmo recessivo da economia, o que implicou uma quebra na dinâmica do consumo privado, tendo as condições climatéricas sido também desfavoráveis ao negócio. No entanto, há que salientar que a evolução das vendas no segundo trimestre, embora negativa, mostra um esbatimento dessa tendência de decréscimo», sublinha Duarte Pinto, CEO da Sumol+Compal.

Apesar da performance no mercado interno, o EBITDA (resultado antes de juros, impostos, depreciações e amortizações) da Sumol+Compal aumentou 8,9% em termos homólogos, para 14,4 milhões de euros. A margem bruta decresceu 2% para 70 milhões de euros, correspondendo a 51,8% do volume de negócios.

Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Apresentações estratégicas dão mote a nova academia em Lisboa
Automonitor
Hyundai NEXO: 6 coisas que precisa saber