S4Digital: Consultoria de elevado valor acrescentado em TI

MARKETEER CONTENTS

A Transformação Digital não acontece sem uma interpretação e visão adequadas das necessidades. E a S4Digital sabe bem como é importante ouvir os desafios dos clientes e ajudá-los com soluções escaláveis que possam proporcionar resultados que sejam mensuráveis.

Existem hoje 25 milhões de pessoas em todo o mundo fluentes em linguagens de programação, ou 1 a cada 125 pessoas em idade activa. Estima-se que isso represente um défice de cerca de 1,4 milhões de profissionais face às necessidades. Um défice que deverá aumentar para 4 milhões até 2025, sendo o maior desafio da transformação digital. Neste contexto, a S4Digital surgiu como uma “boutique” de TI com a capacidade de fornecer serviços de consultoria de elevado valor acrescentado em tecnologias de informação. «Fomos desafiados a encontrar recursos experientes a nível global num mercado complexo e competitivo.

As actividades da S4Digital abrangem hoje as Américas, Europa e Médio Oriente, num total de cerca de 100 pessoas (em crescimento acelerado), distribuídas sobretudo pela Europa, Paquistão e Índia», conta Filipe Marques, CRO da S4Digital. Essas pessoas foram escolhidas pela sua criatividade, capacidade e conhecimento, compreendendo os desafios dos clientes e dos sectores em que a S4Digital opera. «A nossa proposta de valor é sobretudo essa capacidade de reunir pessoas talentosas a partir de qualquer local do mundo, unidas pelo denominador comum do desejo de resolver e fazer a mudança acontecer.» A S4Digital fornece soluções e serviços de Transformação Digital ligados às tecnologias líderes de mercado em áreas-chave da Transformação Digital. Esse foi o foco da empresa até final de 2021.

Para 2022 está a apostar em Cibersegurança, Inteligência Artificial, IoT e Data Science. «Destacamo-nos pelo nosso compromisso com a excelência, atraindo recursos humanos qualificados alinhados com os elevados padrões que definimos na prestação dos nossos serviços», sublinha Filipe Marques. A liderança da S4Digital tem origem na prestação de serviços em operadores TELCO Tier 1 e 2 a nível global, um contexto desafiador com elevadas exigências de transformação digital na última década. «A Transformação Digital não acontece sem uma interpretação e visão adequadas das necessidades. Então, saEntão, sabemos bem como é importante ouvir os desafios dos nossos clientes e ajudá-los com soluções escaláveis que possam proporcionar resultados mensuráveis para os seus negócios.» Entre os seus clientes, a S4 Digital conta com alguns dos principais operadores de telecomunicações e parceiros de tecnologia que lhe confiam a implementação de projectos na Europa, Reino Unido, Estados Unidos e Médio Oriente.

«O nosso modelo de envolvimento com clientes busca preservar a qualidade sobre a quantidade dos nossos serviços. Na maioria dos casos os nossos recursos são colocados em posições-chave dentro de equipas internas dos clientes e parceiros, visando proporcionar uma visão externa experiente como trusted advisors», explica Filipe Marques. E acrescenta: «Estamos empenhados em ajudar os nossos clientes a colmatar o gap entre estratégia e execução, criando soluções de valor de curto prazo, visando a rápida escalabilidade com um olhar sobre a cibersegurança.» E por se preocupar em escutar e valorizar as necessidades e opiniões dos seus clientes, a S4Digital coloca-se também na posição dos seus clientes finais, de forma a garantir uma interpretação contemporânea das exigências emergentes para poder definir os designs e soluções mais adequadas. «Comunicamos de forma clara o nosso entendimento e recomendações e levamos total transparência a todas as interacções com os nossos clientes», explica. Nessa medida, os três pilares que suportam os valores da S4Digital são: o envolvimento com os clientes no desenvolvimento de soluções que atendam às necessidades de negócio; a confiabilidade dos recursos com a capacidade e coragem de enfrentar os desafios com uma mentalidade “yes we can”; e manter uma conexão estreita com os parceiros tecnológicos que lhes permita proporcionar as soluções tecnicamente mais avançadas em suporte dos objectivos estratégicos, tácticos e operacionais dos clientes.

A S4 Digital está envolvida em projectos de transformação digital na Proximus, Virgin Media, Dubai, e Liberty Latin America, entre outros. O foco está em contribuir para melhorar a experiência da operação nos clientes, bem como dos seus clientes finais, num contexto B2C ou B2B. Está focada também em levar aos clientes produtos SaaS inovadores em IoT focados na experiência do cliente. Por exemplo, através de uma nova geração de serviços geridos sobre redes Wi-Fi inteligentes, melhorando a visibilidade e capacidade de resolução remota de problemas e melhorias da qualidade de serviço (QoS) em redes domésticas e empresariais. Para além de incrementar a experiência do cliente final, constitui também uma oportunidade de monetização de serviços por parte do operador. Ou seja, a sinergia que busca entre a melhoria da experiência do cliente e o reconhecimento concreto do valor acrescentado das soluções adoptadas.

PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO

Recentemente, a S4Digital fechou uma parceria com a Siemens/ /Mendix que permitirá desenvolver a área do Low Code. Trata-se de uma abordagem visual ao desenvolvimento de software que optimiza todo o processo de desenvolvimento para acelerar a entrega. «Com Low Code, podemos abstrair e automatizar cada passo do ciclo de vida da aplicação para agilizar a implementação de uma grande variedade de soluções cloud native. Poderemos talvez chamá-lo de “abordagem DYI (do it yourself)” no desenvolvimento de software, o que permite que as organizações desenvolvam soluções rapidamente, sem comprometer o seu desempenho, fiabilidade ou eficácia», explica Filipe Marques. Isso, por sua vez, permite fomentar a cooperação entre as áreas da empresa, pois possibilita que pessoas das outras áreas, não especialistas em linguagens de programação, possam fazer parte das equipas de desenho e configuração/desenvolvimento das aplicações. «Ajuda a mitigar as desconexões organizacionais que ocorrem nas grandes empresas, garantindo melhorar a coerência funcional e o alinhamento organizacional», assegura. Daí que a Gartner preveja que até 2023 mais de 500 milhões de aplicações e serviços digitais serão desenvolvidos e implementados em Low Code/cloud native.

A parceria da S4 Digital com a Siemens representa um canal privilegiado nesse mercado em franca expansão, garante o mesmo responsável. «Significa também uma abordagem alinhada com a nossa visão: entregar de forma rápida e eficaz, com um olhar sobre o futuro e a capacidade de ajustar as soluções às necessidades do negócio, de forma continuada.» Por outro lado, a utilização de Low Code abre a porta às aplicações empresariais conectadas com serviços de Inteligência Artificial (IA) e de análise de dados proporcionados por vários players, como sejam Amazon, Microsoft ou Google. E que permanecem em constante evolução. Isto, explica o mesmo responsável, «permite que não especialistas em IA criem aplicações de IA a partir de componentes pré-definidos».

A proposta de valor da tecnologia de IA disruptiva de baixo código confere às empresas a flexibilidade e a agilidade para se adaptarem à realidade da indústria em rápida mudança, acelerando o time to market de novas aplicações, usufruindo de recursos computacionais avançados, até recentemente fora do alcance da maioria das empresas, explana. ESTRATÉGIA DE CIBERSEGURANÇA A maioria das PME a nível global tem processos frágeis ou inexistentes para prevenir e enfrentar ciberataques. Daí que a S4Digital considere que a definição de um roteiro e estratégia de cibersegurança é fundamental para as PME. «Procuramos levar às organizações a necessidade de criação de um programa de risco cibernético, uma área-chave onde acreditamos que podemos fazer a diferença, apoiada por especialistas e soluções SaaS de cibersegurança de última geração», salienta Filipe Marques.

Os recentes ataques informáticos a que temos assistido, inclusive em Portugal, contribuíram para uma maior consciencialização da sociedade e das empresas para os riscos que correm. «Não tenho dúvidas de que muitas empresas estão a colocar o tema no topo das suas prioridades para o ano de 2022 e já temos alguns sinais nesse sentido», conta.

OBJECTIVOS DE CRESCIMENTO

A S4Digital prepara-se para inaugurar dois novos escritórios, em Lahore (Paquistão) e Brasília (Brasil). «Estamos a operar num mercado global, o que significa atender as necessidades dos clientes em diversos fusos horários. Apesar de a nossa estrutura ter sido criada em pandemia, privilegiando o trabalho remoto, a abertura de escritórios na Ásia e Brasil permite-nos assegurar massa crítica ajustada às zonas geográficas e aos horários dos nossos clientes, actuais e futuros», explica o CRO da S4Digital. No Paquistão, já têm uma equipa de cerca de 20 pessoas. Com a abertura do novo espaço no final de Março, deverão aumentar a capacidade para cerca de 80 pessoas.

Já o Brasil é um mercado por explorar por parte de vários dos parceiros tecnológicos da S4Digital. «Sem a oportunidade do contacto directo é complicado penetrar no mercado da América Latina.» E são várias as empresas com rápida evolução nos últimos dois anos na Europa e EUA, que estão agora numa posição interessante para explorar clientes na América Latina e no Brasil, em particular. Tendo em conta todas as variáveis de evolução, para este ano, a S4Digital tem como objectivo crescer cerca de 50% globalmente e iniciar actividades em Portugal, «algo que foi impossível de concretizar em 2021, dado o foco internacional a que fomos conduzidos pelo contexto da pandemia e necessidades emergentes», justifica Filipe Marques. Prepararam-se desde o final de 2021 e estão agora em condições de crescer em Portugal também.

Este artigo faz parte do Caderno Especial “Costumer Experience”, publicado na edição de Março (n.º 308) da Marketeer.

Ler Mais



loading...
Artigos relacionados
Comentários
A carregar...