Renault estuda encerramento de fábricas

A fabricante automóvel Renault está a analisar o possível encerramento de fábricas devido à difícil situação do mercado automóvel europeu, anunciou o chief operating officer (COO) da empresa, o português Carlos Tavares.

«Estamos actualmente a falar com os sindicatos e a explicar-lhes quão grandes são as nossas lacunas em termos de competitividade», afirmou Carlos Tavares em declarações prestadas ao jornal alemão Automobilwoche, citadas pela agência Reuters. «Temos um problema de competitividade na Europa Ocidental e em França», admitiu.

Carlos Tavares adiantou ainda que «existe a possibilidade» de alguns automóveis da marca passarem a ser produzidos em fábricas da Nissan, empresa com a qual a Renault mantém uma parceria. O responsável referiu que algumas unidades da japonesa Nissan, nomeadamente em Sunderland (Inglaterra) e Barcelona (Espanha), são «fábricas de topo».

Na semana passada, Carlos Ghosn, chief executive officer (CEO) da Renault, já havia admitido que o grupo poderá sofrer uma restruturação. O grupo Renault pode desaparecer «nos moldes actuais» caso não consiga resolver os seus problemas de competitividade no mercado europeu, afirmou o responsável, à margem da exposição Paris Auto Show. Ghosn não descartou também a possibilidade de haver despedimentos na empresa.

A Renault estima fechar o ano com uma quebra das vendas na ordem dos 13% no mercado francês e 8% no mercado europeu.

Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
A sua empresa pode fazer sorrir crianças hospitalizadas. Saiba como.
Automonitor
Novo Alpine A110S pronto para encomendar em Portugal