LG quer reforçar posição nos smartphones

LG_2A divisão de Mobile Communications da LG Portugal está determinada em reforçar a sua posição no mercado português. Com uma quota de 14%, a divisão responde hoje por 28% do total da facturação da empresa, em Portugal, tendo este ano conseguido triplicar as vendas de unidades de telemóveis face a 2012.

Nesta estratégia de consolidação, a marca irá investir no lançamento de equipamentos não apenas mais avançados como também que vão ao encontro daquilo que os consumidores querem e pedem, segundo declarou Ruy Conde, vice-presidente da LG Portugal na apresentação do novo LG G2.

Este novo equipamento afirma-se, de resto, como uma «viragem da filosofia da marca no desenvolvimento de produtos» ao ter procurado «agregar as mais avançadas e úteis funcionalidades, de acordo com as necessidades dos consumidores», conforme afirmou Ruy Conde: «O estudo que serviu de base para a criação do LG G2 é o ponto de partida para o desenvolvimento de uma geração de novos e melhorados equipamentos, que representam o futuro das telecomunicações móveis. Esse futuro é ditado pelos consumidores e nós estamos, cada vez mais, atentos às suas opiniões».

O LG G2 é o primeiro da série G na linha de equipamentos premium. Tendo como base informações sobre o estilo de vida e comportamento dos consumidores, o smartphone oferece um design mais ergonómico e uma experiência mais intuitiva. É o caso do conceito Rear Key: o mesmo estudo feito junto dos consumidores determinou que quanto maior o tamanho do smartphone, mais difícil se torna aceder aos botões laterais. O que é que a LG fez? Colocou os botões na traseira do telemóvel que permite ligar e desligar e controlar o volume de som. Ao pressionar durante mais tempo os botões os utilizadores poderão, ainda, aceder à função QuickMemo e à câmara fotográfica.

Texto de M.ª João Vieira Pinto

Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
A sua empresa pode fazer sorrir crianças hospitalizadas. Saiba como.
Automonitor
Já conhece os novos sinais de trânsito?