Harry Potter vai fazer magia no Japão

harry-potterA Warner Bros. e a Universal Studios do Japão anunciaram que vai ser inaugurado, no final de 2014, o “Wizarding World of Harry Potter”, num parque temático de Osaka.

De acordo com o Los Angeles Times, o parque temático vai passar a contemplar atracções como um castelo de Hogwarts, estimando-se que a construção do total da atracção dedicada a Harry Potter implique um investimento de 500 milhões de dólares (mais de 386 milhões de euros). De referir que esta atracção já atrai milhares de fãs ao resort dos estúdios Universal, em Orlando, EUA, e será também replicada em Los Angeles, no mesmo país, em 2016.

A versão nipónica de “Wizarding World of Harry Potter” deverá começar a ser construída nas próximas semanas, estando a sua inauguração prevista para o final de 2014. De referir que o Japão é o segundo maior mercado da saga criada por J. K. Rowling, sendo apenas ultrapassado pelos EUA.

A comprovar a importância do mercado japonês está o facto de os oito filmes protagonizados pelo jovem feiticeiro Harry Potter terem arrecadado perto de 900 milhões de dólares (695 milhões de euros) nas bilheteiras, valor que ultrapassou o registado no país de origem da saga, o Reino Unido. Produtos como varinhas mágicas fizeram da marca Harry Potter a linha de produtos baseada em filmes mais bem sucedida do Japão, da última década. Ainda assim, tanto a série de livros como de filmes estão completas, e os seus fãs já têm entre 20 e 30 anos, o que faz com que comprem cada vez menos brinquedos. E é aqui que entra a remodelação do negócio da marca Harry Potter. A resposta da Warner Bros., que detém os direitos de licenciamento dos livros de J.K Rowling, é precisamente a aposta em parques temáticos. De facto, só as atracções dedicadas a Harry Potter levaram a um aumento de afluência ao parque da Universal, em Orlando, de 68%.

«É este tipo de imersão que os fãs exigem, mais do que comprar o merchandising tradicional», afirmou o presidente de Produtos de Consumo da Warner Bros., Brad Globe, citado pelo LA Times. «A nossa estratégia tem por foco os parques temáticos porque é uma experiência diferente. Eles [os fãs] já leram os livros e viram os filmes, mas podem agora entrar no mundo», continua.

Apesar dos entraves colocados pela economia mundial, os detentores de parques temáticos têm vindo a investir e a expandir os seus projectos, nos últimos anos. A líder de mercado Walt Disney Co., está a investir 4,5 mil milhões de dólares (cerca de 3,5 mil milhões de euros) num parque em Xangai, mil milhões de dólares (aproximadamente 773 milhões de euros) na remodelação do Anaheim’s California Adventure Park, e 500 milhões de dólares (cerca de 387 milhões de euros) numa nova atracção em Orlando, baseada no filme “Avatar”, de James Cameron.

A Universal, por sua vez, tem a braços o planeamento da expansão da atracção Wizarding World of Harry Potter em Orlando, além da versão de Los Angeles. E novos parques, sob a umbrella da marca Universal, estão a ser estudados na Coreia do Sul, Dubai e Rússia.

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Patrões portugueses são os menos instruídos da Europa
Automonitor
História: O dia em que o Papamóvel foi salvo