easyJet: «Devia haver diferença entre taxas pagas no terminal 1 e no 2»

easyJet europe_2A easyJet transportou mais de 4 milhões de passageiros em Portugal, entre os quais perto de 400 mil no segmento de negócio revelou esta manhã Javier Gandara, director geral da easyJet Portugal e Espanha, em conferência de imprensa que assinalou o primeiro aniversário da inauguração da base operacional em Lisboa. Este profissional afirma que «os 4 milhões de passageiros transportados neste primeiro ano de operação estão de acordo com os objectivos iniciais para Portugal com a inauguração da base».

Desde a inauguração da base, a easyJet tem já 4 aviões baseados em Lisboa – o que permite ter rotações mais rápidas, ser mais pontual e oferecer melhores horários e rotas que melhor se adequem aos passageiros portugueses – e um total de 130 colaboradores com contratos locais, sublinhou o mesmo responsável.

Javier Gandara afirma que «o facto de termos 4 aviões estacionados em Lisboa permite-nos analisar as rotas e frequências que temos e ajustarmos o produto disponível aos passageiros portugueses, tanto no segmento city break como no segmento business. Por exemplo nas viagens de curta distância, os passageiros dão preferência à eficiência, confiança, flexibilidade e valor».

O segmento corporate tem-se revelado uma das apostas bem-sucedidas da easyJet, tendo havido no último ano cerca de 400 mil passageiros neste segmento em Portugal. A easyJet melhorou o produto a oferecer neste segmento e no ano passado introduziu a opção de selecção de lugares, o sistema de reservas para as agências de viagens e os acordos corporativos estabelecidos, refere a marca. E José Lopes, director comercial da easyJet Portugal, acrescenta que a rota Lisboa-Madrid com saída de manhã e regresso ao final do dia tem uma forte procura por parte do segmento corporate.

Dando seguimento a este segmento, a easyJet introduziu o Green Way no início de Maio com o objectivo de atrair passageiros de negócios. O Green Way permite reduzir o tempo de viagem no aeroporto com prioridade no controlo de segurança. “Este novo serviço será oferecido como um novo benefício na compra de tarifas Flexi da easyJet, que permite alterações ilimitadas de data e hora dos voos até duas horas antes da partida. Os passageiros da easyJet com tarifas Flexi têm direito a seleccionar o lugar preferencial e a embarcar antes dos outros passageiros”, explica a marca sublinhando que, em Portugal, o Green Way está disponível nos aeroportos de Lisboa, Porto e Faro.

easyJet_JoseLopes_JavierGandara_220513_2

Uma questão de taxas

Os responsáveis da easyJet sublinharam que a posição geográfica de Portugal – numa das pontas da Europa – condiciona o preço das viagens de e para Portugal já que pela questão da distância ficam mais dispendiosas. «Procuramos sensibilizar os players locais para este facto de maneira a baixar as taxas para estimular o tráfego como tem sido feito até aqui», referiu José Lopes.

Incrementar a entrada de tráfego é também o objectivo da ANA e do Turismo de Portugal e de Lisboa, garante. Mas, sublinha, mais do que incrementar o número de rotas interessa aumentar o número de turistas que se desloca ao país pelas rotas existentes.

Certo é que o número de aviões estacionado em Lisboa vai manter-se pelo menos até ao Inverno. Se depois esse número muda vai depender da evolução das taxas aeroportuárias. «Acreditamos que em termos de taxas devia haver uma diferença entre as que são pagas no terminal 1 e no 2 porque a experiência do consumidor não é igual, nem sequer ao nível de serviço», defende José Lopes que confessa estar espectante para que, quando o assunto das taxas voltar a ser discutido, este seja um dos pontos em cima da mesa.

Texto de Maria João Lima

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Câmara de Lisboa vai contratar mais de 500 pessoas em diversas áreas
Automonitor
Escapadinhas: Avis lança a campanha “Weekend XXL”