Quatro décadas a celebrar o ensino

A celebrar 40 anos, o Instituto Politécnico de Beja (IPBeja) surge, à semelhança das outras instituições de ensino superior (IES) politécnico no País, como resultado de uma transformação – estrutural, institucional, demográfica, social e económica – do ensino superior em Portugal. «Na altura, com a adopção do modelo binário para a formação superior, por um lado, a educação passa a ser perspectivada de forma contínua, ao contrário de “uma educação para a vida”, e o acesso ao ensino superior passa a ser alargado e menos elitista, fruto também do surgimento dos mercados globais e de um consequente entendimento de menos isolamento e de maior interligação e integração destas instituições de ensino; por outro lado, a perspectiva de autofinanciamento das IES, pelo menos de forma complementar, começa a impor-se», recorda João Paulo Trindade, presidente do IPBeja. Como resultado, as universidades perdem a exclusividade da oferta de formação superior e surge o ensino superior politécnico, que complementa e diversifica esta oferta. No Alentejo e em Beja, a instituição acompanhou esta transformação, contribuindo também para potenciar o desenvolvimento local e regional da região. O diploma de criação do IPBeja regulamenta, igualmente, o regime de instalação dos estabelecimentos de ensino superior politécnico. A Escola Superior de Educação e a Escola Superior Agrária integram desde o seu início o Instituto Politécnico de Beja. Mais tarde, foi criada a Escola Superior de Tecnologia e de Gestão e, em 2002, integrou a já existente Escola Superior de Enfermagem, actualmente designada como Escola Superior de Saúde.

O presidente vê a história do IPBeja marcada pelo crescimento e consolidação, com um papel e actuação decisivos no desenvolvimento e afirmação da região. «Atinge a maioridade quando adquire a estrutura académica que inclui as quatro Escolas, todas adequadamente equipadas para o desenvolvimento de aprendizagens, oferecendo um leque variado de cursos de formação inicial (licenciaturas) e também de formação pós-graduada», afirma o responsável.

Salienta também a transição dos cursos no âmbito do processo de Bolonha, com relevantes alterações nas estruturas curriculares e metodologias de ensino e de aprendizagem. Ao nível organizacional, a revisão dos estatutos, em 2008, introduziu uma alteração profunda no modelo de gestão. Mais recentemente, a abertura da instituição ao fenómeno da internacionalização, com a presença diária de várias dezenas de estudantes internacionais, veio introduzir uma dinâmica e novos desafios ao IPBeja e à cidade de Beja.

Sem esquecer que o ensino superior continua a viver um processo de reorganização e de reestruturação, João Paulo Trindade vinca que o IPBeja continua a insistir na questão identitária. «Em primeiro lugar, do ensino superior politécnico e, depois, de cada uma das suas instituições, sendo o IPBeja uma delas. Num outro dia, sobre este assunto, alguém fez uma pergunta, a meu ver, pertinente: caminha-se no sentido da diferença na unidade ou da unidade na diferença? Sabe-se que a competitividade é cada vez maior e que as novas gerações têm características particulares, o que condiciona a forma como se comunica com elas», recorda.

Como tal, a actual equipa entendeu começar por desenvolver uma estratégia de consolidação da marca IPBeja, associando-a à transferência de conhecimento técnico e científico de qualidade, sem esquecer a importância do contacto com as artes e com a cultura, promovendo a inovação. Por isso, e a título de exemplo, optou-se por criar merchandising diferenciador, como seja, o perfume IPBeja, as chávenas IPBeja/Vista Alegre, o marcador de livros IPBeja/Leitão & Irmão e está em preparação uma novidade para este ano.

Para este ano lectivo, o objectivo do IPBeja passa por recrutar mais alunos, registar médias de entrada superiores e aumentar a notoriedade da marca IPBeja, que tem procurado estruturar em torno dos seguintes pilares: família, casa, proximidade, inovação, oportunidade e futuro!

Oferta adaptada ao mercado

As empresas e as instituições regionais são parte do ponto de partida do IPBeja e, também, de destino. Esta colaboração manifesta-se de diversas formas, no âmbito das áreas técnicas e científicas em que o IPBeja tem competência, verificando-se vários exemplos de cooperação com empresas e instituições regionais. «Pelo facto de estarmos no Baixo Alentejo refiro, a título de exemplo, um investimento e actuação permanentes nos sectores agrícola e agro-alimentar com excelentes resultados, com parcerias consistentes e de elevado nível técnico e científico», explica o presidente da instituição. Realizam-se prestações de serviços, instalação e colheita de ensaios de campo e consultoria, de grande valia e reconhecimento pelas associações, empresas e instituições da região.

Acreditando ainda na importância do desenvolvimento de soft skills dos futuros profissionais, o IPBeja proporciona muitas actividades culturais aos alunos, à comunidade académica em geral e até à região. A título de exemplo, conta com um programa cultural anual, designado IPBejaDáteArte.

A estratégia de comunicação do IPBeja contempla contactos presenciais para apresentação da oferta formativa, presença em feiras da especialidade, publicidade feita na imprensa, na rádio e através de newsletters destinadas a vários tipos de públicos, interno e externo. Este ano, o IPBeja optou por dar continuidade à figura de embaixador com o músico Diogo Piçarra. «Com a sua colaboração realizámos várias actividades, de entre as quais se salienta a gravação de um vídeo promocional que passou em vários meios, nomeadamente, nas salas de cinema Nos, regiões Centro e Sul. E prosseguimos com a edição para 2019 do IPBejaDáteArte», afirma o presidente.

De olhos postos no futuro

Comparada com a longa história da região envolvente e das suas gentes, João Paulo Trindade reconhece que a história do Instituto Politécnico de Beja é muito recente. «Contudo, é uma história intensa, rica em desafios e em experiências. Há sempre muito para fazer e melhorar. A implementação do sistema de controlo de qualidade irá ajudar-nos a introduzir uma cultura de melhoria contínua imprescindível ao crescimento e consolidação da Instituição. O objectivo de melhores e mais estudantes está sempre presente», afirma.

Quanto ao futuro, a estratégia do IPBeja passa por atingir um maior crescimento pela via da inovação, estimular as parcerias/empreendimentos e explorar novos mercados – o que envolve também a internacionalização – para, desta forma, procurar captar novos e mais alunos. «Temos diversos projectos em marcha, muitos deles ligados à investigação aplicada através da participação em projectos e actividades de carácter científico, outros alicerçados em iniciativas de foro cultural, particularmente direccionados para a resolução de problemas e necessidades que afectam a região onde estamos inseridos, com uma forte componente de identidade associada à marca IPBeja», sublinha João Paulo Trindade.

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Deloitte tem nova liderança no Marketing e Comunicação
Automonitor
Elétricos: Galp vai inaugurar primeiro ponto de carregamento em São Miguel