O que reserva a Lisbon Week nas rotas da História e da Arte?

Embaixadores Rota História e Rota Arte LW_2O Lisbon Week volta a invadir Lisboa, de 21 a 28 de Setembro, com programação cultural e turística. O público vai ser convidado a redescobrir Lisboa, explorar edifícios com séculos de história, descobrir obras de artistas nacionais e estrangeiros e assistir a concertos e palestras em locais inesperados e de acesso livre.

«Esta edição vai uma vez mais destacar e abraçar uma zona da cidade que necessita de revitalização. Do Marquês ao Rio, pelas ruas mais esquecidas, relembraremos muito do seu património através de diversos encontros culturais, com o intuito de divulgar espaços mais esquecidos que precisam de novas dinâmicas para a sua sobrevivência. Ao mesmo tempo, por toda a metrópole, chamaremos a atenção da riqueza da nossa cidade, em visitas e passeios a lugares novos ou menos vistos”, comenta Xana Nunes, a mentora do projecto.

À semelhança do que aconteceu o ano passado, o Lisbon Week, uma coprodução da Câmara Municipal de Lisboa, volta a contar com o apoio oficial da Caixa Geral de Depósitos (CGD), que nesta segunda edição actua como mecenas de duas rotas que se cruzam, a Rota História e a Rota Arte. Em termos de programação, a Rota História volta a estar a cargo do professor José Sarmento de Matos. No caso da Arte, o papel de curador foi entregue a Delfim Sardo, ensaísta e professor universitário.

Este ano, a viagem pela história de Lisboa será feita pela Rua das Portas de Santo Antão. Tal como na edição anterior, serão organizadas visitas guiadas que seguirão um roteiro, pensado por Sarmento de Matos. O percurso passará por locais como o Palácio da Independência ou a Sociedade de Geografia, e outros normalmente fechados ao público, como o Recrutamento da Encarnação. José Sarmento de Matos explica que «o eixo constituído pela rua das Portas de Santo Antão e Rua de São José, constitui um dos percursos mais ricos de Lisboa, quer do ponto de vista histórico, quer do ponto de vista patrimonial. Trata-se da mais antiga saída do núcleo urbano de Lisboa para Norte, implantada pelo esquema viário traçado no período romano. A partir da construção da Cerca Nova (1383) a via foi dividida pela porta da mesma, chamada de Santo Antão pela existência na proximidade de um eremitério dessa evocação». E acrescenta que «esta antiguidade e importância na articulação da cidade com os seus arrabaldes a norte, fizeram desta via um lugar privilegiado para localização de edifícios notáveis, quer de carácter religioso, quer civil. Esta riqueza histórica e patrimonial levou a centrar no troço principal desta via a rota da História do ano de 2013, seleccionando-se alguns dos principais edifícios para a realização de visitas programadas e orientadas».

Totalmente desenhada por Delfim Sardo, a Rota Arte vai explorar a arquitectura da cidade através de um percurso que irá guiar o público por um conjunto de edifícios simbólicos que irão alojar exposições de artistas nacionais como Rui Chaves, João Onofre ou José Pedro Croft. Delfim Sardo explica que o roteiro proposto pretende descobrir «Lisboa, cidade escondida, cheia de esquinas recônditas e de pátios, de casas que abrem para jardins insuspeitados. O percurso de descoberta da cidade proposto no contexto do Lisbon Week procura revelar alguns desses lugares, nos quais a arquitectura se vai cruzar com a arte contemporânea, numa exposição em dez pólos. As obras vão viver dentro de espaços arquitectónicos de excelência, desde espaços patrimoniais a edifícios contemporâneos, sejam escolas, lojas, casas particulares ou bibliotecas».

As reservas para as visitas da Rota História e da Rota Arte, oferecidas pela Caixa Geral de Depósitos, começam a partir de 15 de Julho, através do email reservas@lisbonweek.com ou no site oficial.

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
A sua empresa pode fazer sorrir crianças hospitalizadas. Saiba como.
Automonitor
Já conhece os novos sinais de trânsito?