Jerónimo Martins com resultados positivos suportados pela Biedronka

BiedronkaO exercício fiscal de 2011 foi de reforço de resultados para o Grupo Jerónimo Martins, que tem na operação polaca, sob a insígnia Biedronka, a sua principal fonte de crescimento e rentabilidade. As vendas consolidadas do Grupo cresceram 13% no ano passado, cifrando-se nos 9,8 milhões de euros. Como informa a empresa liderada por Pedro Soares dos Santos em comunicado, o desempenho de todos os formatos e insígnias de distribuição alimentar do Grupo Jerónimo Martins superou o dos respectivos mercados, o que significou um “reforço das posições de liderança em cada um dos segmentos, cumprindo-se uma das principais prioridades estratégicas definidas para um ano exigente”.

O resultado líquido atingiu os 340 milhões de euros, reflectindo um incremento de 21% face a 2010. A forte geração de cash flow, por sua vez, permitiu a redução da dívida líquida da empresa em 61%, para os 228 milhões de euros.

Como apontavam as previsões do Grupo, o resultado consolidado antes de impostos, juros, depreciações e amortizações (EBITDA) aumentou em 16%, para os 722 milhões de euros, num crescimento de ritmo superior ao das vendas.

O reforço dos resultados financeiros da Jerónimo Martins fez-se acompanhar pela execução de um programa de investimento que ultrapassou os 449 milhões de euros. Deste valor, foi alocada uma percentagem de 70% na Polónia.

A capacidade de geração de fundos do Grupo, potenciada pelo desempenho positivo do braço polaco do Grupo, a Biedronka, permitirá que a empresa entre no mercado colombiano sem implicações de aumento da dívida no balanço consolidado. De acordo com o CEO Pedro Soares dos Santos, o lançamento de uma operação na Colômbia poderá ser feito até ao final do corrente ano.

A Biedronka mantém-se, de facto, como “a principal prioridade estratégica até à concretização da cobertura do território com três mil lojas, prevista até ao final de 2015“.

Para 2012, em termos globais, o Grupo espera “resultados sólidos”, suportados pelo crescimento expectável da Biendronka. Estimado pela empresa está o crescimento a dois dígitos das vendas consolidadas, e o crescimento do EBITDA acima das vendas. Para este ano o programa de investimento deverá ascender aos 650 milhões de euros, 80% dos quais serão investidos na expansão do negócio polaco.

No mercado português a prioridade do Grupo passa pelo aumento das quotas de mercado e pela protecção da rentabilidade. “Mantemo-nos cautelosos em relação ao difícil ambiente macroeconómico mas confiantes na força e qualidade das propostas de valor que operamos”, informa a empresa em nota enviada às redacções.

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
O impacto da Inteligência Emocional nas empresas
Automonitor
Está grávida? Veja o que deve (e não deve) fazer se for conduzir