Head Shopping e Heart Shopping devem estar ligados, conclui estudo

Os consumidores que utilizam os seus smartphones para fazer compras conseguem que estas sejam mais eficientes, já que os dispositivos permitem encontrar preços mais baixos, localizar lojas e pesquisar por informações e opiniões.

Esta é uma das conclusões do “Mobile in the Consumer Journey”, um estudo da Microsoft Advertising realizado ao longo de seis meses em países com uma implementação de smartphones distinta. Foram eles o Reino Unido, EUA, Brasil, Japão e Coreia. O objectivo do trabalho foi determinar de que forma as marcas e os distribuidores estão a aproveitar as potencialidades do mobile, como este permite interagir com os consumidores, quais as suas expectativas e quais os passos a dar, num futuro próximo.

Em mercados como o japonês e o coreano, as compras através de smartphones têm uma penetração elevada. A prática está tão enraizada nos hábitos do lar que um terço dos cupões e vales de desconto de produtos de supermercado são adquiridos através destes dispositivos. Noutros mercados, as principais fontes para a obtenção dos cupões continuam a ser os jornais (73% nos EUA), o correio tradicional (54% no Reino Unido) e as próprias lojas (56% no Brasil).

De acordo com o Marketing News, o estudo adianta que, até agora, as aplicações e promoções desenvolvidas no ambiente mobile têm apelado ao lado racional dos consumidores. Ainda assim, de acordo com a investigação, o smartphone é um dispositivo emocional, pelo que, nesse sentido, as marcas e distribuidores estão a perder uma oportunidade única para gerar envolvimento.

Na sua abordagem racional anunciantes e distribuidores dirigem-se, sobretudo, a experiências de preço. O contacto emocional permitiria, por seu lado, acrescentar valor e proporcionar experiências de compra mais ricas, através de uma maior ligação com os consumidores, reforça o estudo.

A meta, conclui a Microsoft Advertising, seria criar uma coesão entre o Head Shopping (ou “compras de cabeça”, mais ligadas à razão, ao foco, à educação e à satisfação) e o Heart Shopping (ou “compras com o coração”, ligadas ao prazer, à emoção e ao sentimento).

Enquanto que o primeiro tipo potencia promoções, ofertas e informação, o segundo poderá mostrar novidades de produto e as suas vantagens únicas, dar apoio aos clientes mediante opiniões de especialistas, que ajudam o consumidor a tomar decisões, e coloca à disposição dos utilizadores os canais com os quais podem interagir.

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Page Assessment tem novo Executive manager
Automonitor
Conselhos para conduzir à chuva