Crise torna consumidores infiéis

consumidorDados revelados pelo Observador Cetelem mostram que apenas 12% dos portugueses se mantém fiel a uma marca. Já em relação aos jovens com menos de 30 anos, é de 88% a percentagem que acredita que as marcas de vestuário, calçado, acessórios, entre outros, não apresentam grande diferenciação entre si. E apesar de, no seguimento da tendência europeia, serem eles os que apresentam uma maior valorização das marcas, parecem menos envolvidos com elas.

Acrescendo ao facto de 69% dos jovens comparar preços atentamente antes de efectuar uma compra, é também este público que, em Portugal, está mais disposto a passar de um distribuidor para outro, prestando atenção a promoções. Representam, aliás, a percentagem mais alta entre os 13 países analisados: 65% contra uma média europeia de 58%.

O consumidor procura assim, e como destaca Conceição Caldeira Silva, responsável pelo Observador Cetelem em Portugal, «uma maior simplicidade, apresentação mais sumária dos produtos, menos marcas propostas nos pontos de venda, um ambiente de compra mais depurado». Isto porque, como refere a responsável, «a crise acentua a necessidade de regressar ao essencial».

Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Qual é, afinal, o papel do líder?
Automonitor
Primeiro Porsche 911: Uma obra-prima alemã