Vendas de computadores registam a maior subida dos últimos 10 anos

Já se sabe que há sectores que sofreram mais do que outros com a chegada da pandemia e, no caso do mercado de computadores, nem a escassez de chips se afigurou um obstáculo ao crescimento. Esta categoria de equipamentos informáticos registou, em 2020, a maior subida da última década e a tendência manteve-se em 2021. Dados da Gartner e da IDC dão conta de novo incremento.

Com os confinamentos e o teletrabalho a empurrarem as populações para casa, muitas foram as pessoas e as empresas a investir na aquisição dos chamados computadores tradicionais. Segundo a Gartner, quase 340 milhões de PCs saíram das fábricas em direcção às lojas (shipments), no ano passado, o que representa um aumento de quase 10% face a 2020 (que já tinha registado valores recorde). A IDC dá conta de um número semelhante: 348,8 milhões de PCs, em todo o mundo, numa subida de cerca de 15%.

Jitesh Ubrani, research manager na IDC, considera que o mercado de computadores voltou a estar em forma em 2021. Citado pelo The Verge, sublinha tanto a necessidade deste tipo de equipamentos em mercados em desenvolvimento como a sua procura comercial a nível mundial.

Por seu turno, Mikako Kitagawa, research director na Gartner, adianta que não é expectável que os volumes de vendas diminuam para os níveis pré-pandemia tão cedo. Pelo menos, nos próximos dois a três anos, a procura manter-se-á.

pub


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...