Pagamentos com confiança

Com 45 anos no mercado, a Uunicre tem sabido adaptar-se às necessidades dos clientes particulares e das empresas, conseguindo ao mesmo tempo garantir padrões de confiança e segurança

Criada em 1974, a Unicre é coincidente com o nascimento dos cartões bancários de pagamento em Portugal e com o seu desenvolvimento no País.

Com o desenvolvimento do mercado nas últimas quatro décadas, a empresa evoluiu de forma exponencial e é, hoje, especializada na concessão de crédito, gestão de cartões, para os segmentos particulares e empresas, tendo mais de 13 soluções de aceitação de pagamentos para comerciantes para diferentes ambientes, entre os quais o digital. Gere ainda os processos de emissão de cartões em entidades financeiras e não financeiras. A Unicre disponibiliza soluções para e- -commerce desde 2000, a par dos primeiros passos no comércio digital em Portugal. Hoje, as compras online representam cerca de 25% do total de compras realizadas com os cartões Unibanco, apresentando uma tendência de crescimento em linha com o crescimento dos negócios online em áreas que vão desde o comércio, serviços e viagens, decoração até aos produtos biológicos, gourmet ou regionais.

 

Em consonância com a evolução do e-commerce, as principais marcas da empresa, Redunicre e Unibanco, têm vindo a desenvolver diferentes soluções.

A Redunicre, em parceria com relevantes players nacionais e internacionais, tem vindo a oferecer soluções adaptadas às necessidades concretas dos comerciantes, em termos de dimensão, capacidade tecnológica e integração nos websites, independentemente do volume de transacções.

«A evolução levou a marca especialista em aceitação de pagamentos a trabalhar desde o online convencional, pagamentos recorrentes, até ao mundo das apps ou ao Redunicre@Payments, a solução que não requer a obrigatoriedade de o comerciante ter uma plataforma de e-commerce, permitindo que um negócio receba pagamentos online através do envio de um simples link, que assegura que o cliente final realiza o pagamento de forma segura», explica fonte oficial da Unicre. No Unibanco, o e-commerce ditou o lançamento do primeiro cartão exclusivo para compras online, o Unibanco NetNet e, recentemente, novos serviços baseados na emissão de proxy cards destinados ao sector das agências de viagens e dos operadores turísticos materializados em dois produtos: o VPS (Virtual Payments Solution) e o BSPayments.

Apesar da oferta disponível ao nível de pagamentos, existe ainda algumas reticências no que respeita à compra online. Os serviços pós-compra e a segurança dos pagamentos fazem parte dos parâmetros de resistência.

No entanto, a Unicre salienta que os clientes estão cada vez mais digitais em todo o processo de compra. «Na actualidade a fronteira do online e do presencial é esbatida, potenciada pela evolução das soluções e serviços nos pagamentos, pela aplicação dos padrões comportamentais de escolha, decisão de compra do consumidor online na própria imagem e organização das lojas presenciais mais evoluídas», salienta o responsável da Unicre.

Perfil de compras

Apesar de nas compras online não se observar uma sazonalidade tão significativa como a que se regista nos terminais de pagamento automático instalados nas lojas físicas, verifica-se um crescimento mais notório em Novembro nas movimentações no e-commerce (em volume e em valor), consequência da preparação e das compras da época natalícia. Já no que se refere às áreas onde se verifica uma maior aposta dos consumidores portugueses no e-commerce, a Unicre não tem recato em salientar claramente os sectores do comércio, serviços e viagens.

Aliás, tendo em consideração o impacto na hotelaria a Redunicre garante, através de soluções específicas, a integração das soluções de aceitação de pagamentos com os principais softwares de gestão hoteleira.

Existe uma grande percentagem de consumidores que opta por adquirir equipamen-tos em lojas online fora de Portugal. Na verdade, mais de 50% das compras efectuadas online com os cartões Unibanco são realizadas em sites estrangeiros, não só pelo preço, mas também pelo estado de maturidade da oferta online. A empresa salienta que a compra em sites estrangeiros apresenta alguns riscos, possíveis de associar à falta de segurança, que advêm da menor proximidade com o comerciante ao nível de informação sobre o produto e contacto.

A Redunicre para os comerciantes e o Unibanco para utilizadores têm protagonizado campanhas de informação de mitigação dos riscos. O comerciante tem de estar bem identificado (nome, contactos, tipo de negócio), assim como o produto e as condições de aquisição e pagamento.

Por outro lado, é fundamental que se compre em sites de confiança e seguros (normalmente com a letra “S” junto à barra do URL), ou onde constem os logos “Verified by Visa” e/ou MasterCard “SecureCode”. «Recordamos que, no caso de compras em sites estrangeiros, é necessário que os cartões estejam associados aos sistemas internacionais de pagamento, tal como acontece nos cartões Unibanco. Em lojas online com soluções da Redunicre, a tranquilidade é maior e resulta das exigências de conformidades legais e do uso de mecanismos robustos de segurança.

O objectivo é ajudar a garantir que os comerciantes operam de forma legal e que os serviços prestados e as transacções efectuadas são seguras para os utilizadores dos cartões, melhorando toda a experiência de compra online.» A Redunicre usa, ainda, o KYC (know your customer), que inclui a validação presencial de um negócio online.

O seu cumprimento requer uma equipa fiável e com elevado grau de capilaridade, para visitar e conhecer pessoalmente os responsáveis de cada negócio, localizados em qualquer parte do território nacional.

Digitalização de processos

A digitalização de processos da empresa tem impactado várias áreas do negócio e, naturalmente, também ao nível da concessão de crédito.

Com esta digitalização há uma maior rapidez com que os pedidos e a informação é tratada, menor manuseamento e arquivamento de papel e a aplicação de padrões de pré-avaliação automática, libertando espaço para as análises e processos onde a intervenção humana é determinante para a aferição das necessidades efectivas dos clientes e qualidade do crédito concedido.

Certo é que esta digitalização não alterou os padrões de exigência internos da empresa, adaptados a cada contexto evolutivo, no que respeita, por exemplo, à validação de informações e à concessão do próprio crédito, que assenta em vários critérios, tendo à cabeça as necessidades efectivas, respectivo destino e esforço do cliente.

Na verdade, explica a fonte oficial da empresa, a Unicre está a estruturar e a transformar os processos internos tendo em consideração o contexto concorrencial e os novos paradigmas do ecossistema de pagamentos da era digital. «No e-commerce, este ano, prevemos um crescimento a dois dígitos.

Nos resultados temos a ambição de nos situarmos no patamar dos 19 mil milhões na facturação e obter um número de transacções acima de 490 milhões», revela a fonte oficial da empresa.

 

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Automonitor
Hyundai promete novo SUV híbrido plug-in para Los Angeles