Lime recicla trotinetes através de arte urbana

Combater a ideia de que as trotinetes são descartáveis é a missão da Lime ao lançar um projecto de renovação de veículos danificados em parceria com o artista urbano RAF – também responsável pela obra de arte que nasceu no Lumiar recentemente. O projecto oferece nova vida a trotinetes que, devido a utilização intensiva, já não se encontravam nas melhores condições.

Ao todo, são 15 as trotinetes transformadas por RAF e que já podem ser encontradas pelas ruas da cidade. A iniciativa coincide com o primeiro aniversário da Lime no mercado nacional e serve para demonstrar o carácter sustentável da plataforma de mobilidade.

«A expectativa de vida útil dos modelos de trotinetes mais recentes (geração 3) corresponde a mais de um ano de uso intensivo. Adicionalmente, quando este período chega ao fim, 97% dos constituintes da trotinete são recicláveis, assim como 70% dos constituintes das baterias», explica Nuno Inácio, director de Expansão da Lime em Portugal. Os restantes componentes não recicláveis, esclarece o responsável, são convertidos em materiais biodegradáveis e utilizados como fonte de energia e matéria-prima para as trotinetes.

«Outro mito associado às trotinetes está relacionado com o processo logístico de carregamento das baterias, já que, à primeira vista, muitas pessoas pensam que anula os benefícios ambientais das trotinetes», comenta ainda Nuno Inácio. No entanto, indica o responsável, considerando que a expectativa de vida útil destes veículos supera um ano de uso intensivo, «o impacto positivo da frota é superior ao impacto que o processo logístico ainda apresenta para o ambiente».

Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Ter futuro na sua carreira pode depender desta competência
Automonitor
Nissan LEAF em modo drift