Jameson brinda à liderança com provas em Lisboa

Até ao final do mês, a LX Factory é a casa do Jameson Distillery On Tour, um projecto pop up que pretende trazer até aos portugueses a história e a experiência da destilaria original da marca de whisky, inaugurada em 1780 em Dublin, na Irlanda.

Lisboa é mesmo o ponto de partida do tour mundial da Jameson. Em entrevista à Marketeer, Bruno Calvão, director de Marketing da Pernod Ricard Portugal, explica o que levou a esta decisão e aborda o percurso que levou, este ano, a marca à liderança (em valor) no mercado de whisky nacional.

Portugal é o ponto de partida do projecto Jameson Distillery On Tour. Porquê esta decisão?

A escolha de Lisboa como a primeira cidade no mundo a receber a Jameson Distillery On Tour tem na base algumas razões fundamentais: o facto de a marca Jameson em Portugal ter uma das brand equities mais fortes do mundo; este sinal de preferência por parte dos consumidores portugueses traduz-se no facto de Jameson se ter tornado na marca líder em valor no mercado de whisky em Portugal; por outro lado, o facto de o nosso País e, em particular, Lisboa ser um dos destinos mais trendy no momento, também poderá ter peso na decisão. Além disso, o facto de a localização ser no LX Factory ajudou a que tudo fizesse sentido, pois estamos a falar de um espaço que reflecte o posicionamento e imagem da marca Jameson.

Como é que a marca está a tentar replicar a experiência que pode ser encontrada na destilaria original, localizada em Dublin? E quais as expectativas até ao final do mês?

O que pretendemos é obviamente trazer um pouco da experiência da destilaria de Bow Street em Dublin, para um espaço que pretende traduzir e oferecer a todos os consumidores uma experiência em muito semelhante, onde vão poder descobrir mais sobre a história da marca, o seu método de produção e, ainda, fazer uma prova de diferentes whiskeys. Este é o mesmo percurso que temos na destilaria em Bow Street, replicando uma experiência multissensorial semelhante, através de audiovisuais, aromas, experiências manuais e, claro, prova de produto.
A nossa expectativa é obviamente estar com uma taxa de ocupação muito alta e que os consumidores, no final da experiência, sintam que valeu a pena e recomendem.

Quais os hábitos de consumo de whisky por parte dos portugueses? E em que medida influenciam a estratégia da marca?

O consumo de whisky em Portugal é muito tradicional, ou seja, é feito na sua grande maioria simples ou com gelo e mais nos momentos de consumo como digestivo, em casa ou fora de casa após a refeição. No entanto, a marca Jameson tem vindo a tentar mudar este paradigma e através do [cocktail] Jameson Ginger&Lime, oferecer uma proposta mais fresca e para um consumidor que não aprecia a forma de consumo tradicional. E desta forma temos conseguido alargar a novos momentos de consumo fora do consumo tradicional da categoria.

Qual a quota de Jameson no mercado português? E quais os objectivos para os próximos anos?

Este ano atingimos a liderança em valor com Jameson Original no mercado total de whisky em Portugal, sendo que o objectivo para os próximos anos é obviamente consolidarmos essa liderança num mercado muito fragmentado e competitivo como o português.

Para onde seguirá o projecto Jameson Distillery On Tour depois de Lisboa?

Lisboa é o primeiro teste para o Jameson Distillery On Tour, até mesmo para aprendermos com este projecto completamente inovador na nossa indústria e podermos afinar e melhorar a experiência que proporcionamos aos nossos consumidores. Por isso ainda não está definido o próximo destino. Neste momento, a marca a nível internacional está completamente focada ainda no LX Factory até dia 28 Setembro e só depois irá decidir qual o próximo destino.

Texto de Daniel Almeida

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Airbus vai ter open day. Há 90 vagas para fábrica portuguesa
Automonitor
Nissan LEAF em modo drift