Heineken acusada de comunismo na Hungria

O primeiro-ministro húngaro, Viktor Orban, quer banir a estrela vermelha que figura nos produtos da Heineken. De acordo com a Bloomberg, a marca está a ser acusada de apoiar o comunismo ao apresentar este símbolo nas suas garrafas.

A ambição do governo húngaro é atribuir multas e eventualmente pena de prisão a qualquer pessoa que venda produtos com símbolos totalitaristas. A estrela vermelha, associada ao regime comunista, está incluída neste lote. Recorde-se que a Hungria foi governada por um líder comunista durante mais de quatro décadas.

A Heineken rejeita a associação ao comunismo, lembrando que a estrela é utilizada por cervejeiras desde a Idade Média. As cinco pontas da estrela representam os ingredientes base da produção de cerveja: água, cevada, lúpulo, levedura e um quinto elemento que varia de receita para receita.

“Naturalmente, a estrela vermelha da Heineken não tem qualquer tipo de significado político e usamos os mesmos símbolos de marca em todo o mundo, em cada mercado”, indica a Heineken, em comunicado citado pela mesma agência noticiosa.

Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Outubro 2019
Automonitor
Já viu o novo ultracompacto 100% elétrico da Toyota?