Associação Circuito: «Não contestamos as decisões. Contestamos que depois haja falta de apoio»

Mariana Duarte Silva é co-fundadora do Village Underground Lisboa e criou recentemente a academia de música Skoola, mas não foi nenhum destes temas que a trouxe à conversa com a Marketeer esta semana. Igualmente representante da Associação Circuito, que tem 27 salas de espectáculos pelo País, Mariana Duarte Silva fala dos desafios enfrentados com o seu encerramento durante os períodos de confinamento no âmbito da pandemia.

Sobre as medidas governamentais que fecharam as portas da cultura durante os dois últimos anos, a representante refere que, no caso da Associação Circuito, a quebra na facturação foi de cerca de 95% em todas salas. «Não contestamos as decisões técnicas dos especialistas que levam a estas normas e que nos levam a fechar. Contestamos é que depois haja falta de apoio para esta quebra de facturação.»

Criada pouco antes de a pandemia chegar a território nacional, esta associação, que tem como objectivo valorizar e ajudar a desenvolver a rede de salas de programação de música e dar palco a talentos emergentes, sofreu um «impacto brutal». Para Mariana Duarte Silva, é importante que o público perceba a necessidade de se salvar este circuito, ao invés de haver um novo investimento posterior para criar outro de raiz.

Acompanhe a conversa na íntegra no vídeo em baixo:

pub


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...