As marcas do Bullying

Portugal está no Top 15 dos países com índices mais altos de bullying na Europa e América do Norte. Mais de 70% dos estudantes foram vítimas de cyberbullying durante o segundo período de confinamento provocado pela pandemia, entre Janeiro e Abril deste ano. Em Portugal, o tema ainda é tratado com “pinças”, mas já começa a haver campanhas pontuais e trabalhos mais alargados. A tentar ajudar a mudar mentalidades está a No Bully Portugal. Nas palavras da presidente da associação, Inês Andrade, já se fala muito sobre este tema na sociedade em geral, fazendo com que não seja tabu, mas “ainda há muita negação“ por parte das escolas. Fomos ainda perceber o porquê da associação da Head & Shoulders e da Staples ao tema e fizemos o levantamento de algumas das campanhas internacionais que procuram mudar atitudes. Há que lembrar que o bullying e o ciberbullying estão a impactar toda uma geração de consumidores.

Texto de Maria João Lima e M.ª João Vieira Pinto

Para ler o artigo na íntegra consulte a edição de Outubro de 2021 da revista Marketeer

Artigos relacionados
Comentários
A carregar...