250 mil europeus querem ser esquecidos

Faz, hoje, precisamente um ano desde que o Tribunal da União Europeia legitimou o “direito a ser esquecido” por parte de todos os utilizadores da internet. A decisão tomada diz respeito a todos os motores de busca que devem, quando solicitados, eliminar todas as informações pessoais relativamente ao utilizador em causa.

Para marcar o primeiro aniversário deste direito, a Google revela que recebeu mais de 250 mil pedidos de cidadãos europeus desde 13 de Maio de 2014. Dos milhares de pedidos, cerca de 40% foram aprovados.

Os critérios de aprovação não são claros mas, de acordo com o tribunal europeu, qualquer informação que possa, de alguma forma, prejudicar o utilizador ou a sua reputação, seja devido a incorrecções ou a excesso de detalhes pessoais, deve ser eliminada, quando pedido.

No entanto, apesar das informações ou páginas serem eliminadas do motor de busca, impedindo que apareçam em pesquisas, as mesmas não são apagadas da internet. A expressão que afirma que tudo o que colocamos na internet deixa de nos pertencer, continua a fazer sentido.

Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Conheça o programa completo da XVIII Conferência Human Resources
Automonitor
Já pode encomendar o novo Opel Grandland X Hybrid4