Supermercados do futuro vão ter workshops e degustações

A experiência será o principal pilar do supermercado do futuro. É essa a alavanca que levará os retalhistas a apostar na disponibilização de workshops, degustações e espaços de socialização, garantindo que as pessoas continuam a ter interesse em visitar as suas lojas.

Só desta forma será possível conviver em harmonia com a crescente digitalização dos supermercados, outra das tendências apontadas pela Oliver Wyman no relatório “The Future Supermarket”. Segundo a consultora, com as novas tecnologias chegam também as listas de compras digitais, a gestão automatizada e inteligente dos stocks e os preços dinâmicos (mais baixos quando se aproximam do fim do prazo de validade, por exemplo). Em comum, todas estas mudanças têm a personalização.

A Oliver Wyman prevê também que os funcionários continuarão a ser uma componente essencial dos supermercados, mas com novas competências focadas na valorização do consumidor – seguindo a tendência já identificada. Isto poderá resultar numa redução de 40% das horas de trabalho, tendo por base conceitos de loja como o apresentado pela Amazon em Seattle: os clientes entram, escolhem os produtos que querem e saem sem passar por qualquer tipo de caixa; o pagamento é efectuado online e automaticamente. Além da redução de horas, é expectável que 20% da força de trabalho seja eliminada.

No futuro traçado pela consultora, os armazéns dos supermercados serão ocupados por robôs, capazes de recolher pedidos online. Neste cenário também existe uma selecção de artigos que deixará de fazer parte das lojas, como é o caso dos detergentes, leite ou papel higiénico. Os clientes encontrarão apenas códigos de barras para os adicionar aos seus carrinhos de compras.

Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Automonitor
CUPRA no primeiro circuito construído sobre um telhado em Paris