Super Bock recria vida de rappers portugueses

Black Company, Mind Da Gap, Capicua, Slow J e Estraca são os protagonistas da nova campanha da Super Bock, desenvolvida para homenagear a música portuguesa, especialmente o Hip-Hop. O projecto assume o formato de biopic e recria a vida dos cinco artistas, representantes de diferentes gerações.

Sob o mote “25 anos de Inspiração”, conta com imagens baseadas em factos reais para retratar a evolução da música em Portugal e o percurso dos artistas convidados. É explorado o processo criativo de cada um, bem como as fontes de inspiração e os momentos em palco.

Segundo a Super Bock, é a primeira vez que o estilo biopic é introduzido numa campanha de publicidade em Portugal. Na base do trabalho está um filme com sete minutos, disponível a partir de hoje nas plataformas digitais da marca. A estratégia de divulgação envolve ainda um spot de 45 segundos, transmitido em televisão e cinema.

A criatividade da campanha é da responsabilidade d’O Escritório e a produção da Ministério dos Filmes. José Mariño, locutor de rádio que promoveu o Hip-Hop em Portugal nos anos 90, empresta a voz à banda sonora.

Bruno Albuquerque, director de Marketing Cervejas do Super Bock Group, lembra que a marca sempre teve uma forte ligação à música mas que queria, este ano, tornar essa associação ainda mais transversal à actuação da Super Bock – não só no apoio a eventos como o Super Bock Super Rock mas também na comunicação.

«Neste filme, os protagonistas são os artistas. De facto, é inegável que são os artistas que, de forma geral, são fonte de inspiração para outros artistas e para todos os que gostam de música. Afinal, todos vamos beber a algum lado. Foi o que procurámos traduzir neste filme. É, sobretudo, uma homenagem à música, neste caso colocando o foco na evolução do Hip-Hop, e um claro reforço do nosso compromisso neste território», conclui o responsável.

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Isabel Barros distinguida com prémio «Excelência» na liderança. Foi a única portuguesa
Automonitor
Portugal a caminho de bater recorde de produção anual