Produção mundial de calçado de volta ao crescimento

O desempenho da produção e exportação de calçado a nível mundial não tem acompanhado o sucesso da indústria em Portugal. Porém, 2017 parece ter sido um ponto de viragem: após dois anos de estabilização e, em alguns casos, de recuo, o crescimento voltou.

De acordo com o World Footwear Yearbook, a produção mundial de calçado aumentou 2% no ano passado, sendo que o destaque vai para a Ásia. É neste continente que se concentra 87% do total da produção no planeta. América do Sul, Europa, África e América do Norte juntas não vão além dos 5% de quota.

No que concerne as exportações, a subida é mais tímida, não indo além dos 0,7% em quantidade e dos 3,7% em valor. O mesmo relatório sublinha que embora a Europa tenha sido, na última década, o único continente a ganhar participação nas exportações de calçado, em termos de quantidade, representa apenas 13,8% do total mundial. Em 2017, a Ásia era responsável por 83,3% e os restantes continentes combinados por 3%.

O consumo, por seu turno, é distribuído de forma mais uniforme. A Ásia adquire 54% de todo o calçado produzido, a Europa 16% e a América do Norte 15%.

Desenvolvido pela APICCAPS, o World Footwear Yearbook apresenta ainda as tendências de preço na indústria. Os dados de 2017 apontam para um aumento de 3% nos preços médios de exportação, atingindo um novo máximo: 9,18 dólares (cerca de 7,90 euros). Portugal conta o segundo maior preço médio de exportação, situando-se nos 26,54 dólares (22,8 euros).

Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Qual é, afinal, o papel do líder?
Automonitor
Maratonas condicionam trânsito em Lisboa (conheça as vias afetadas)