Ikea apoia refugiados em Lisboa

A cadeia sueca de mobiliário Ikea associou-se à Câmara Municipal de Lisboa (CML) para a remodelação do Centro de Acolhimento Temporário de Refugiados, que funcionará no antigo edifício da Escola Prática de Administração Militar, na Quinta das Camélias, em Lisboa.

No âmbito deste projecto, a multinacional sueca equipou quatro quartos e uma sala para crianças. Ao todo, o Centro de Acolhimento Temporário de Refugiados, que foi ontem inaugurado, terá capacidade para alojar oito famílias.

«Actualmente, as crianças representam 36% dos refugiados em trânsito. Ao participar neste projecto, o nosso foco passou por assegurar que, ao chegarem a Portugal, as famílias e, especialmente os mais pequenos, encontrariam um espaço que contribuísse para facilitar o processo de realojamento e os fizesse sentir integrados», afirma em comunicado Cláudia Domingues, directora de Comunicação da Ikea Portugal.

Nos próximos dois anos, Portugal espera receber cerca de cinco mil refugiados. Após a sua chegada, serão recebidos neste centro de trânsito, por um período máximo de três semanas, antes de serem realojados em diversas cidades do País – apenas 10% deverão ficar em Lisboa.

>Recorde que criativos e designers de todo o mundo foram chamados pela Ikea a participar no “What Design Can Do – Refugee Challenge”, que visa a integração e recepção de refugiados em contexto urbano.

Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
O impacto da Inteligência Emocional nas empresas
Automonitor
História: O dia em que o Papamóvel foi salvo