Opinião: Hipertensão arterial e desporto

Por Thoris Berger, directora médica da Jaba Recordati

É uma evidência científica que o tratamento farmacológico é verdadeiramente eficaz no controlo da hipertensão e redução das suas complicações. No entanto, existem diversas medidas não farmacológicas que devem igualmente ser incluídas no tratamento de doentes hipertensos. O exercício aeróbico é, por exemplo, um adjunto favorável à medicação no tratamento da hipertensão arterial.

Além do benefício directo do exercício na redução da pressão arterial, sabe-se que o seu efeito protector está também associado à redução dos factores de risco cardiovasculares e a menor morbimortalidade.

Para aproveitar os benefícios da actividade física, não é preciso praticar desporto de alta performance que apenas é viável para uma faixa etária mais jovem. Na verdade, a simples mudança de um estilo de vida de completa inactividade para a realização de um exercício físico ligeiro tem grandes benefícios para a saúde geral.

Os estudos científicos não mostram apenas que a prática de desporto pode, em muitos casos, evitar/prevenir o desenvolvimento da hipertensão, mas também que, mesmo em indivíduos com hipertensão pré-existente, os valores podem ser reduzidos. Com um treino correctamente doseado/prescrito, é esperada uma redução de cerca de 05–10 mmHg (milímetros de mercúrio) de pressão arterial. Este resultado está dependente da escolha do tipo da actividade física e da quantidade do treino.

Que tipo de actividade física ajuda a prevenir a hipertensão?

O coração e o sistema circulatório beneficiam principalmente de actividades de resistência moderada como, por exemplo, a corrida, caminhada, ciclismo, natação, ténis, entre outras, caso estas modalidades não sejam praticadas em condições competitivas ou com ambição muito elevada, de modo que não haja picos de carga extrema.

Além disso, verifica-se que, em muitos casos, além do exercício de resistência, o treino de força moderada é igualmente recomendado. Uma maior massa muscular melhora, entre outras coisas, o metabolismo, diminuindo a problemática resistência à insulina, presente em muitas pessoas com hipertensão e pré-diabetes. O treino de força deve ser moderado, evitando uma sobrecarga perigosa do sistema cardiovascular.

Campanhas “Alerta de Coração” e “Correr pelo Coração”

Consciente da importância do exercício físico para um melhor estado de saúde cardiovascular da população portuguesa, a Jaba Recordati lançou, em parceria com a Fundação Portuguesa de Cardiologia (FPC), a campanha “Correr pelo Coração”, para incentivar os profissionais de saúde a darem o seu testemunho sobre o exercício realizado. Neste caso, os médicos foram desafiados a correr durante um mês e a registar os quilómetros percorridos ao longo desse período. Por cada quilometro percorrido, a Jaba Recordati deu um donativo de 50 cêntimos à FPC.

Esta é a forma de os profissionais de saúde motivarem pelo exemplo os seus doentes, em particular os doentes hipertensos.

Fruto da pandemia de Covid-19 que o País e o mundo atravessam, muitos doentes têm o acesso dificultado aos cuidados de saúde, seja por o Sistema Nacional de Saúde estar sobcarregado com os doentes Covid-19, seja por receio por parte do doente em frequentar os centros de saúde e hospitais. Muitos doentes hipertensos não estão devidamente controlados e, muitas vezes, não sabem ou não valorizam sintomas de alerta que os podem e devem levar a consultar o médico e a fazer uma avaliação criteriosa do seu estado de saúde cardiovascular.

Foi com este propósito de alertar o doente para os sintomas e sinais de alarme que a Jaba Recordati colocou no ar a campanha “Alerta de Coração” que, durante três meses, estará activa nas redes sociais (Facebook e Instagram) com informações relevantes sobre a hipertensão e quais os sinais e sintomas que todos nós devemos valorizar para que o «nosso estilo de vida não nos leve a uma vida sem estilo».

Ler Mais
pub


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...