Facebook testa novas opções para negócios

A utilização de dispositivos móveis é cada vez mais uma certeza no comportamento dos consumidores actuais, pelo que o Facebook tem feito algumas mudanças nesse sentido. Se na óptica do utilizador comum a experiência tem sido positiva, a rede social revela, em comunicado, que o mesmo não tem acontecido tão facilmente com os negócios. Por essa razão, o Facebook está a testar novas ferramentas que ajudem a melhorar as compras via mobile e via Facebook.

A primeira dá pelo nome de “Canvas” e já foi lançada em Junho mas ganha, agora, novas funcionalidades. Esta opção deixa que os utilizadores, ao clicarem num anúncio de determinada marca, possam ver mais produtos dessa marca sem saírem do Facebook, antes de serem direccionados para o site do vendedor.

Segue-se o botão “Comprar”, também em fase de testes, e que tem como objectivo permitir compras dentro do próprio Facebook, tanto através do desktop como de dispositivos móveis. Esta opção chega depois do Pinterest e do YouTube terem lançado ferramentas semelhantes.

O Facebook está também a experimentar a disponibilização de novas secções através do “Pages”. Introduzido recentemente, o separador “Compras” é exemplo disso, permitindo que cada negócio escolha quais as soluções mais adequadas para si. Por fim, durante as próximas semanas, a rede social começará a testar um espaço único em que os utilizadores possam descobrir mais facilmente os diferentes produtos. Esta área juntará o News Feed, o Pages, o Groups, entre outros.

Entretanto, depois de ter lançado, no último ano, os anúncios em formato “Carousel”, que permitem às marcas introduzir mais do que uma imagem e link no mesmo anúncio, o Facebook revela, agora, os resultados. Segundo testes preliminares, a utilização desta opção levou a uma diminuição de 30 a 50% do custo por conversão.

Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Transformação digital na Gestão de Pessoas: como está a evoluir?
Automonitor
Volvo quer impacto climático neutro em 2040