Está a ser perseguido por um anúncio? Explicamos porquê

As pesquisas que fazemos online têm tendência para nos perseguir durante algum tempo. Quando procuramos bilhetes de avião para determinado destino ou percorremos vários sites em busca da máquina de lavar roupa com o melhor preço, acabamos por ser brindados com anúncios relacionados com estas pesquisas em plataformas como o Facebook. Por detrás deste fenómeno está uma ferramenta de marketing chamada retargeting.

Em traços gerais, retargeting significa comunicar directamente com potenciais clientes, uma vez que já demonstraram previamente interesse no produto ou serviço em questão. O processo tem por base os dados recolhidos através de cookies nos sites, por exemplo, que oferecem algumas luzes sobre as preferências de cada utilizador.

Resta saber se esta estratégia é eficaz e se contribui para uma melhor experiência online para os consumidores. De acordo com John Lemp, CEO e fundador da plataforma para anunciantes Revcontent, o retargeting pode ser muito útil. Em declarações reportadas pela Adweek, o responsável explica que é comum um utilizador perder-se durante as suas pesquisas e acabar por deixar para trás um artigo no qual ficou verdadeiramente interessado. Os anúncios com base em retargeting podem ajudar em casos como este, avivando a memória dos utilizadores.

Contudo, equilíbrio é palavra de ordem, uma vez que é necessário assegurar que estes anúncios não incomodam. Apostar numa rotação frequente dos conteúdos apresentados é uma das soluções possíveis.

E resulta? Dados da SeeWhy (que integra a SAP), divulgados pela mesma publicação, revelam que 26% dos clientes regressam a um site através de retargeting.

Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Isabel Barros distinguida com prémio «Excelência» na liderança. Foi a única portuguesa
Automonitor
Portugal a caminho de bater recorde de produção anual