5 insights (imperdíveis) sobre a Geração Z

Dados da Barkley reportados pela eMarketer indicam que os consumidores norte-americanos entre os 16 e os 21 anos gastam 143 mil milhões de dólares (127,8 mil milhões de euros) por ano. A estimativa não inclui compras feitas para indivíduos desta geração pelos seus pais ou outros familiares.

Sendo ponto assente que esta é a nova geração de compradores e que tem muitas semelhanças com os jovens da mesma idade na Europa, há pelo menos cinco informações que os retalhistas devem saber para conquistar a sua atenção – e dinheiro:

1 – Adoram a Amazon. Não conhecendo uma vida sem internet, a Geração Z conhece o mundo digital como ninguém e espera que o retalhistas apresentem a mesma velocidade e conveniência que um smartphone. A Amazon consegue fazê-lo e é, por isso, uma das plataformas preferidas destes jovens consumidores: 64,3% das raparigas entre os 18 e os 24 anos inquiridas pela CPC Strategy dizem ter comprado uma peça de roupa na Amazon nos últimos seis meses. Uma das principais razões é a possibilidade de receber os artigos em casa rapidamente e sem custos. Aliás, a rapidez é uma questão tão importante que 58% dos consumidores entre os 18 e os 20 anos estaria disposto a pagar mais cinco dólares (cerca de 4,50 euros) por entregas em menos de uma hora (dados da Accenture de 2017);

2 – Mas preferem comprar em lojas físicas. Contudo, apesar dos níveis de entusiasmo verificados junto da Amazon, os consumidores entre os 13 e os 21 anos inquiridos pela National Retail Federation dizem que as lojas são o seu canal de compra preferido. Na maioria dos casos, a justificação é a mesma há gerações e gerações: esta é uma forma de passar tempo com os amigos;

3 – Instagram e Snapchat estão dentro, o Facebook está fora. Outra razão para os jovens da Geração Z gostarem de visitar as lojas físicas prende-se com a possibilidade de partilharam a sua experiência no Instagram e Snapchat. Por outro lado, dificilmente o farão no Facebook: apesar de pouco mais de metade dos indivíduos entre os 13 e os 17 anos dizerem estar no Facebook, apenas 10% afirma que esta é a rede social mais utilizada (dados da Pew Research de 2018);

4 – Quando não estão nas redes sociais, estão no YouTube. Segundo a Pew Research, 89% dos rapazes e 81% das raparigas entre os 13 e os 17 anos assistem a conteúdos no YouTube. Além disso, 47% dos jovens entre os 14 e os 23 anos inquiridos pela Pearson/Harris dizem passar pelo menos três horas por dia nesta plataforma de vídeo. Grande parte deste tempo é utilizado para ver conteúdos das suas estrelas favoritas;

5 – Apesar dos seus hábitos digitais, a internet não é o melhor canal para falar com eles. A conclusão da eMarketer é simples: a Geração Z sente que recebe demasiada informação nos seus smartphones e não gosta quando um anunciante aumenta ainda mais este volume com uma nova notificação. Um estudo da EMI Research Solutions revela que 41% dos jovens entre os 13 e os 18 anos se sente sobrecarregado pelo número de notificações que recebe.

Caso se cruzem com anúncios nas suas plataformas digitais preferidas, dão preferência aos que parecem autênticos: 77% dos inquiridos diz gostar de conteúdos com pessoas reais em situações reais.

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Desafio Global reforça equipa
Automonitor
Portugal a caminho de bater recorde de produção anual