4 dicas para um estilo de vida mais sustentável (da roupa ao carro)

Reduzir, reutilizar e reciclar são os três “Rs” que orientam o dia-a-dia de quem quer ter um estilo de vida mais amigo do ambiente, mas nem sempre será óbvio de que modo se pode aplicar cada um destes princípios. A pensar nisso mesmo, a Zurich reuniu quatro dicas que poderão ajudar.

“Aquilo que vestimos, a forma como nos deslocamos, os alimentos que ingerimos e a casa onde habitamos têm um grande impacto ambiental. Com as crescentes preocupações em torno das alterações climáticas, torna-se cada vez mais necessário adoptarmos um estilo de vida mais sustentável”, indica a seguradora em comunicado.

Eis as dicas partilhadas pela Zurich, referentes a áreas tão diferentes como roupa, deslocações ou alimentação:

Vestuário para um estilo de vida sustentável

Em Portugal, segundo dados da Agência Portuguesa do Ambiente, cerca de 200 mil toneladas de roupa e têxteis são deitadas no lixo, anualmente. Para contrariar esta realidade, pode optar pela compra em lojas de segunda mão ou por comprar menos peças de roupa, mas com maior qualidade, que sejam intemporais e possam ser usadas durante mais tempo. Se precisar de roupa nova, pondere a compra de vestuário de marcas que assumem compromissos éticos e sustentáveis. Estas marcas utilizam tecidos e componentes amigos do ambiente, apostam na reutilização de tecidos e promovem programas de recolha de roupas usadas junto dos seus clientes.

Alimentação de produção local e sem desperdícios

O que comemos tem uma grande influência na nossa pegada ecológica, mas a boa notícia é que existe um número infindável de pequenos conselhos que contribuem para uma alimentação mais sustentável. Alguns exemplos: privilegie o consumo de frutas e legumes da época, minimizando o recurso a alimentos cuja produção em estufa implica maior consumo energético; ppte por alimentos de produção local, evitando elevadas pegadas carbónicas no transporte; prefira as compras a granel, já que não só evita desperdícios (comprando apenas o que precisa), como dispensa alimentos embalados em plástico. Inspire-se nas plataformas sociais com dicas de especialistas sobre cozinhar sem desperdício.

Transportes: alternativas sustentáveis

Evite utilizar o automóvel em distâncias curtas que podem ser feitas a pé, de bicicleta, de trotinete ou de transportes públicos. Se está a pensar em comprar um carro novo, pondere a possibilidade de adquirir um eléctrico ou um híbrido plug-in. Caso prefira um carro convencional, opte por um com baixo consumo e níveis reduzidos de emissões.

Casa: da reciclagem à energia

Reciclar e separar o lixo não só é desejável como será obrigatório até ao final de 2023. Mas há muito mais que pode ser feito pelo ambiente e por uma vida com menor impacto ambiental, por exemplo: instale economizadores nas suas torneiras para reduzir o consumo de água (além do ambiente, a sua carteira também agradece); privilegie o uso de lâmpadas LED, para além de apresentarem uma durabilidade maior, são mais ecológicas e permitem poupar na fatura da eletricidade.

Pondere, ainda, quando possível, a instalação de painéis solares térmicos para aquecimento de água ou de painéis solares fotovoltaicos para produção de corrente eléctrica. Não só estará a recorrer a uma fonte renovável, como conseguirá poupar nas despesas mensais – no caso do fotovoltaico, é até possível vender à rede pública o excedente de energia que não usa em autoconsumo. Quando for às compras, leve os seus próprios sacos para evitar o uso de sacos de plástico.

Ler Mais


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...