Todos por todos!

Por Tiago Simões, director de Marketing da Sonae MC

Tenho andado a pensar no tema para esta coluna há alguns dias. Queria escrever-vos sobre uma coisa boa… há poucas semanas conseguimos, depois de vários anos, fechar o concurso e adjudicar um novo painel de audiências de televisão em Portugal. Este painel produz GRP, a moeda com que compramos espaço publicitário em televisão. Finalmente vamos ter um painel moderno, actualizado, tecnologicamente preparado para estes tempos onde o consumo de televisão está a mudar tanto. Uma excelente notícia para a indústria. Um feito que não só vem pacificar este tema e trazer mais confiança para este processo, como nos vai permitir, a todos, concentrar nos temas relevantes e que se discutem nos mercados mais avançados sobre medição de audiências – como medimos os nossos investimentos em grandes plataformas digitais, que se medem a si próprias, ou como fazemos o Cross Media Measurement, que desafia anunciantes de todo o mundo.

Mas, infelizmente, a realidade é pesada de mais para eu fugir dela… escrevo este texto no final de Janeiro. Todos os dias batemos recordes de mortos e de novos infectados. Os hospitais estão no limite e vivemos o pior momento da nossa vida colectiva.

Neste contexto, o que devem fazer as marcas? Tenho defendido uma necessidade de sermos ágeis e ousados. Lermos a realidade e colocarmos as nossas marcas, dentro das possibilidades de cada uma, ao serviço de Portugal, seja cumprindo a sua missão, protegendo os seus colaboradores, agradecendo a quem está na linha da frente ou ajudando quem mais precisa. É um momento único para as marcas demonstrarem o propósito e vincarem o seu papel na sociedade.

Perante a emergência nacional, perante o vergonhoso último lugar no ranking de combate à pandemia e perante um poder político que tem pautado muita da gestão actual da crise por um apontar de dedos aos portugueses, as marcas que o conseguirem, podem e devem mostrar os seus valores.

Mas também temos que nos preparar para o que aí vem… depois de um segundo confinamento, a economia vai sair muito maltratada. A crise económica, ainda que de forma assimétrica, vai atingir muitos portugueses. E muitas marcas. Algumas não vão sobreviver, e outras sairão muitíssimo afectadas. E também por isto, nesta crise económica que se seguirá à sanitária, as marcas vão ser postas à prova. As que superarem a crise terão, mais do que nunca, que mostrar os valores que pautam a sua actuação. Por um lado, continuarão muito expostas ao escrutínio de todos mas, por outro, terão muitas oportunidades para pôr em prática o seu propósito. E isto não só será muito valorizado, como será também muito necessário.

Vamos todos, mais que nunca, precisar de todos.

Artigo publicado na Revista Marketeer n.º 295 de Fevereiro de 2021

Ler Mais
pub


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...