«SBSR.fm é uma rádio do festival»… e não da Super Bock

Unir uma marca forte como o festival Super Bock Super Rock à vontade de divulgar nova música foi a motivação da Música no Coração e da Unicer para estender a parceria de mais de duas décadas a um novo projecto. A SBSR.fm arrancou hoje como uma evolução natural do festival de música que ocupa o Parque das Nações, em Lisboa.

«Não somos uma playlist», garantiu Luís Montez, director-geral da Música no Coração, na apresentação da nova rádio do grupo, a SBSR.fm. O responsável assegura que, nesta estação, as recomendações dos locutores terão um papel importante, apresentando aos ouvintes novas músicas e artistas, com especial foco no talento português: «Os novos artistas portugueses têm aqui uma casa às ordens», afirmou, referindo-se também ao pequeno auditório de que as instalações da SBSR.fm dispõem.

Sobre o posicionamento e perfil da nova rádio, que tem como lema “Música Autêntica”, Luís Montez lembrou ainda que as novas músicas, por serem novas, poderão não ser muito conhecidas do público e, por isso, não registar grandes índices de audiência. Ainda assim, garante que não deixarão de passar uma música tendo em mente unicamente as audiências: «É o valor desta rádio, fazer bem sem ter a preocupação da guerra das audiências.»

Tendo isto em mente, o responsável avançou à Marketeer que espera, contudo, bons resultados. Para Lisboa, a previsão é de uma audiência de 2% e Para o Porto de 2,5%, as duas regiões em que a SBSR.fm transmite a partir de hoje. Recorde-se que a SBSR.fm ocupa as frequências que anteriormente pertenciam à Rádio Nostalgia: 90.4 em Lisboa e 91.0 no Porto.

Relativamente à similaridade que a SBSR.fm apresenta face a outras rádios do próprio grupo, nomeadamente a Radar, Luís Montez explica que a principal diferença está no raio de alcance. A Radar não está no Porto, mas a SBSR.fm sim. O responsável acredita também que a nova rádio poderá destacar-se da Radar devido à marca forte que tem por detrás. «As marcas são importantes e, do ponto de vista do Marketing, quando ouvirem SBSR, as pessoas saberão do que trata», acrescentou.

Não é uma rádio da Super Bock

Rui Lopes Ferreira, CEO da Unicer, também esteve na apresentação para assinalar mais um marco de uma parceria que dura há já 23 anos. Segundo o responsável, a SBSR.fm nasce da vontade e ousadia das duas partes em criar uma estação «próxima dos ouvintes e capaz de proporcionar novas experiências e fortes emoções». À Marketeer, esclareceu que a nova rádio não será uma parceria com nenhuma marca da Unicer, mas sim do festival que a empresa tem acompanhado.

«A ligação é entre o festival e a rádio, apenas. Não há rigorosamente nenhuma associação a marcas individuais ou à própria Unicer. Isto é uma parceria entre o festival e a rádio», explicou o CEO. Rui Lopes Ferreira acrescenta ainda que sempre fizeram questão de respeitar as regras e leis da publicidade.

Prova deste respeito é a aprovação por parte da Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC), afirma ainda, avançando quais as duas recomendações que a entidade indicou para que a SBSR.fm pudesse ser uma realidade: qualquer publicidade a marcas da Unicer não pode exceder 50% do tempo legalmente dedicado a publicidade; e o grafismo da rádio não pode confundir-se com o design das marcas, apenas com o do festival.

Texto de Filipa Almeida

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
A sua empresa pode fazer sorrir crianças hospitalizadas. Saiba como.
Automonitor
Trotinetes elétricas: guia para circular em segurança