Quer entrar na conversa entre o Tim, a Carolina Deslandes, a Bárbara Tinoco e o Agir?

Há um projecto que cruza educação e entretenimento e que pretende, através de uma plataforma digital interactiva, ajudar os portugueses a aprofundarem conhecimentos e desenvolverem novas competências, para criarem o seu futuro e terem impacto na comunidade. Trata-se do Movimento Cria-Te que junta a Galp e o Rock in Rio.

Hoje, o “Cria-te ao Vivo”, oferece a oportunidade de assistir ao processo de criação de artistas portugueses como Tim, Héber Marques, Carolina Deslandes, Agir, Bárbara Tinoco ou Zé Ricardo. Um momento colaborativo e interactivo para a criação da música que servirá de hino ao movimento.

Joana Garoupa, directora de Marketing e Comunicação da Galp, explicou à Marketeer que a maioria dos artistas escolhidos para este projecto colaborativo ia participar na edição de 2020 do Rock in Rio e vai estar na edição do próximo verão do Festival. Alguns deles vão ser cabeça de cartaz no palco Galp Music Valley. Essa foi a ligação mais óbvia, inicial. «Mas acabaram por ser também escolhidos pela forma como abraçaram desde a primeira hora esta ideia», confessa. Conheça os planos da marca para este movimento.

Como é que os portugueses estão a reagir ao Movimento “Cria-te”?

A reacção está a ser excelente. Recebemos largas centenas de participações, de testemunhos e de manifestações de interesse em torno do projecto só nas primeiras três semanas, ainda antes deste momento de grande visibilidade que será o Live.

As sessões de aprendizagem online disponibilizadas na plataforma do Movimento Cria-te já tiveram também centenas de participações.

Mas mais do que os números que provam o sucesso desta iniciativa, interessa-nos uma métrica mais intangível, mas que valorizamos acima das outras: a sensação de que existe nos portugueses a abertura para se reinventarem, o desejo de agarrarem o futuro com as próprias mãos e a ambição de contribuírem para melhorar a vida à sua volta.

Num ano em que o evento do Rock in Rio foi adiado, havia necessidade de reinventar a parceria entre as duas marcas?

A Galp é o patrocinador principal do Rock in Rio – parceria que acarinhamos muito. A Galp e o Rock in Rio são duas marcas muito fortes, líderes nas áreas em que actuam e com uma presença histórica na vida dos portugueses.

Ambos sentimos que não podíamos alhear-nos do momento presente/pandemia e ficar apenas à espera que o pior passasse para voltar ao “normal” no pós-pandemia.

A parceria que criámos tem por base a muita experiência que a Galp tem em desenvolver projectos educativos, juntando a esta derivada, a celebração de momentos de inspiração e boas energias, no território da música. Acreditamos na Galp que a educação é a base do sucesso, seja ele pessoal, empresarial ou de toda a sociedade. E é, por isso, um eixo central na estratégia de sustentabilidade da empresa e da sua Fundação. Temos uma grande afinidade com o Rock in Rio nestas matérias e, por isso, decidimos estender a parceria que fizemos na música a todo o ecossistema da educação e do empoderamento das pessoas.

Quando nos sentámos para discutir o “Cria-te” as coisas fluíram com a normalidade de quem já criou o hábito de colocar a sua energia ao serviço dos portugueses. Não poderia ser diferente quando eles mais precisam de quem puxe pela sua energia.

Quais são os objectivos deste movimento?

O Cria-te é um projecto que alia educação e entretenimento e que pretende inspirar as pessoas e as comunidades a transformar o futuro, o seu e o do colectivo. O projecto assenta numa plataforma digital que disponibiliza ferramentas e partilha histórias inspiradoras, de pessoas comuns ou conhecidas, com exemplos que mostram que temos nas nossas mãos o poder de dar um primeiro passo para mudar ou para perseguir e alcançar os nossos objectivos e até, quem sabe, os nossos sonhos.

Será uma plataforma de aprendizagens, que agrega aprendizagens interactivas, e através da qual as pessoas podem aprofundar conhecimentos sobre si próprios e desenvolver novas competências, mediante um conjunto de jornadas de conhecimento adequadas ao perfil de cada pessoa. Estas jornadas são em texto, em modo de pergunta e resposta, e em vídeo, onde teremos algumas personalidades da campanha a interagir directamente, em vídeo, com as pessoas.

Em paralelo, este movimento irá doar mais de 100 computadores à comunidade escolar, elevando para mais de 1.200 os equipamentos que a Galp irá distribuir pelos mais jovens, e não só, para garantir que têm acesso a ferramentas que podem moldar o seu futuro.

A plataforma aposta numa linguagem próxima da dos jovens. Esta aproximação era essencial para o sucesso da mesma?

A linguagem tenta ser o mais universal possível, porque embora saibamos que uma plataforma digital tem nas gerações mais jovens um público naturalmente preferencial, o objectivo é ter um raio de acção o mais transgeracional possível. Porque os sonhos, a capacidade de reinvenção ou a ambição de lutar por um futuro melhor – seja ele pessoal, comunitário ou global –, não tem limites de idade.

Ainda assim, quisemos que este projecto tivesse acima de tudo uma linguagem e uma abordagem mais informal, de forma a criar uma proximidade com as pessoas sem lhe atribuir uma “carga” geralmente associada aos estudos mais académicos. Estamos a falar de jornadas de aprendizagem com um ‘currículo’ rigoroso, com objectivos muito concretos, mas que pretende navegar num ambiente descontraído, apelativo e com um impacto concreto e muito directo na vida de cada um.

Porquê a aposta numa estratégia de gamificação?

Sentimos, essencialmente, que era o melhor caminho para potenciar o engagement da plataforma, com uma interactividade que é mais apelativa do que a simples disponibilização de conteúdos para leitura e consulta e posterior teste aos conhecimentos adquiridos.

O conceito do Cria-te divide-se em três grandes territórios: eu, nós e o mundo. É a partir daí que se constroem, de forma interactiva, as jornadas de conhecimento. E a plataforma que disponibiliza estas micro learnings está preparada para endereçar o mais variado tipo de possibilidades, com ambientes, formatos, linguagens e temáticas personalizadas, consoante o perfil, a formação ou os interesses das pessoas.

Porque é que estes foram os artistas escolhidos para a criação do hino do movimento? Que ligação anterior às marcas?

A maioria destes artistas ia participar na edição de 2020 do Rock in Rio e vai estar na edição do próximo verão do Festival. Alguns deles vão ser cabeça de cartaz no palco Galp Music Valley. Essa foi a ligação mais óbvia, inicial. Mas acabaram por ser também escolhidos pela forma como abraçaram desde a primeira hora esta ideia. Pelo desafio que é criar uma música assim, sem rede, ao vivo, mas também por terem percebido de imediato o grande potencial deste movimento e o quanto podiam impactar a vida das pessoas e dos seus fãs, com esta mensagem de confiança no potencial de cada um para mudar o futuro.

A nossa parceria com o Rock in Rio permite também dar a este projecto esse cunho muito criativo, usando a música e o entretenimento como veículos de inspiração. É uma honra ter figuras conhecidas do meio artístico como o Tim, a Carolina Deslandes, a Bárbara Tinoco ou o Agir que irão dar corpo a essa inspiração, interagindo em vários momentos com as pessoas para lhes explicar como é que construíram o seu próprio caminho para concretizarem os seus sonhos.

Quais serão os vários momentos do dia do live com os artistas?

A live com os artistas irá decorrer a 2 de Dezembro e poderá ser acompanhada no YouTube do Rock in Rio Lisboa pelas 20h30. Durante esta sessão o público vai poder participar em momentos de conversa com os músicos que serão intercalados de momentos musicais espontâneos. No final será desvendado o tema “Cria-Te” – uma música e letra originais, criada pelo grupo de artistas, inspiradas por este movimento – e que, na próxima edição do festival, subirá ao palco Galp Music Valley.

Ao longo do dia, os fãs poderão acompanhar o processo criativo da música através das redes sociais do Rock in Rio Lisboa e da Galp. O passo seguinte deste “manifesto” será a criação de um videoclipe exclusivo, que será lançado ainda em Dezembro.

Além dos artistas, os momentos de partilha incluirão também as próprias histórias inspiradoras das restantes personalidades da campanha. Pessoas como Armindo Araújo, Carolina Carvalho, Roberta Medina partilharão gestos que os inspiram a criarem o seu caminho.

Depois do lançamento do hino, quais serão as etapas que se seguirão ao nível da comunicação do “Cria-te”?

Após o lançamento desta música que assinala a concretização da campanha, será ainda lançado o respectivo videoclipe com base na criação que resultará deste exercício criativo. O CriaTe continuará a marcar presença através das jornadas, que estarão totalmente disponibilizadas até ao final do ano, e continuamos com as entregas de computadores às escolas e associações identificadas com base nas necessidades, um mapeamento que temos vindo a fazer desde o início da pandemia, através de parceiros como a Student Keep em articulação com a DGE.

Ainda em Dezembro será lançado um livro “Os Segredos dos Melhores Profissionais”, que conta com o apoio do cria.te, que estará nas bancas no início de Dezembro e que pretende inspirar as novas gerações partilhando o testemunho de 52 profissionais de variadas áreas sobre como alcançaram o sucesso e que gestos, pessoas ou decisões contribuíram para o que são hoje.

Contamos ainda continuar, no próximo ano, com momentos que ainda não podemos revelar, mas que pretendem ser uma construção até ao início do festival, no próximo ano.

De que maneira estará o “Cria-te” ligado à RiR Innovation Week?

O “Cria-te” terá direito a nome de um dos palcos do Rock in Rio Innovation Week 2021, com um espaço e agenda próprios, onde artistas, personalidades e especialistas discutirão várias temáticas relacionadas com o projecto.

Texto de Maria João Lima

Ler Mais
pub


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...