Quem tem medo das redes sociais?

As redes sociais são uma boa ferramenta para as empresas, mas são também uma faca de dois gumes que pode prejudicar rapidamente a sua reputação. De acordo com um estudo do Altimeter Group, empresa de investigação e consultoria, o Facebook, o Twitter e o YouTube, as três redes sociais mais utilizadas, são também as mais perigosas.

O Twitter permite aos utilizadores mencionar marcas com facilidade. O retweet, ou partilha do conteúdo, pode ser feito de forma quase instantânea, sem que a marca possa fazer nada, pelo que um comentário negativo pode expandir-se rapidamente.

Também o Facebook apresenta perigos. O que os utilizadores escrevem no mural de uma marca pode ser visto não só pelos contactos do seu autor, mas por todos os que visitam o espaço da empresa na rede social. Mas ao mesmo tempo que podem ser publicados comentários negativos, também podem surgir comentários positivos, que garantam o equilíbrio da “balança”.

A reputação e os danos causados às marcas são, para 66% dos inquiridos no estudo do Altimeter Group, os riscos mais relevantes apresentados pelas redes sociais.

Ainda este ano um trabalho conjunto entre a Forbes Insights e a Deloitte fez notar que os empresários americanos consideram que uma das principais fontes de risco para as suas empresas, nos próximos três anos, será a utilização das redes sociais. 27% dos executivos que trabalham em empresas de produtos industriais e de consumo, cuidados de saúde, tecnologia, media e telecomunicações afirmou encarar aquelas plataformas como um risco.

Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Human Resources ultrapassa marca dos 115 000 seguidores no LinkedIn
Automonitor
Vídeo: Mesa redonda da 2ª conferência do AUTOMONITOR