Organização de eventos

100-anos-estrella-galicia_1«As marcas perceberam há algum tempo que a comunicação passa por uma maior cumplicidade com o consumidor final. O evento como potenciador de mensagens personalizadas consegue melhor do que ninguém, identificar o core value duma marca e transformá-lo numa mensagem clara, precisa, imediata e eficaz.

Só os eventos permitem uma profundidade de acção que encontre a alma da marca e a transmitam ao consumidor», sublinha João Pestana Dias, general manager da Fadus Special Events, empresa que se dedica à organização e realização de eventos, e que conta com uma presença cada vez mais vincada por toda a Europa. A FADUS acaba de abrir um escritório em Madrid e é uma das empresas portuguesas mais requisitadas para concursos de realização de eventos por todo o continente europeu. Exemplo disso é a inauguração do Victoria Square em Belfast ou o Revéillon do Hotel Arts Barcelona (considerado o 5.º melhor Design Hotel do Mundo). A nível nacional, o Reveillon de Portimão, com cerca de 30 artistas oriundos de seis países, assistido por 130 mil pessoas, ou o espectáculo Cirque du Soleil são exemplos que fazem parte do seu portefólio de mais de 1000 eventos realizados ao longo de 10 anos, tendo em 2008 fechado com um volume de negócios que superou os dois milhões de euros.

(…)

Quais as próximas tendências?

 

Se as empresas quiserem marcar a diferença e continuar a usufruir do capital de confiança que construíram perante o mercado, é provável que no futuro tenham de apostar na formação com o intuito de adquirirem know-how em novas tecnologias e soluções emergentes.

Nuno Silveira sublinha que os clientes vão estar cada vez mais informados. «Creio que a tendência será termos eventos cada vez mais complexos, repletos de pormenores e, sobretudo, onde as agências tenham decididamente de ser uma mais valia. Com a World Wide Web e com o factor globalização, já não basta ser intermediários. Muitos dos nossos clientes, pelo elevado número de eventos que tiveram que organizar (e por algum interesse por esta área), acabaram por adquirir conhecimentos técnicos que os leva a questionar sobre determinadas soluções apresentadas».

Para João pestana Dias, «as tendências irão passar pela aplicação criativa da alta tecnologia, inovação, design e arte. São factores distintivos com valor acrescentado. Neste momento, a qualidade é apenas o bilhete para o jogo. Preconizo o surgimento de novas ferramentas que farão o dois em um.

O método “Story Telling” será cada vez mais usado. É por isso que se diz que as Histórias servem para adormecer os pequenos e acordar os grandes!».

(…)

Por Hugo Lopes Correia

PARA LER NA ÍNTEGRA CONSULTE A EDIÇÃO IMPRESSA

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Pela primeira vez, há uma portuguesa a presidir a Multilaw
Automonitor
Via Verde Estacionar chega à Maia