O Facebook está ou não a morrer?

A receita publicitária mundial para redes sociais deverá ascender aos 50 mil milhões de dólares (44,4 mil milhões de euros) em 2018. Deste valor, estima-se que o Facebook seja responsável por dois terços. Porém, a percentagem de jovens que utilizam o Facebook está a descer, dando preferência a outros redes como o Snapchat. É este cenário que serve de ponto de partida para a mais recente análise do AdAge Datacenter.

O primeiro ponto em discussão é a forma de acesso às redes sociais. Nos Estados Unidos da América, o desktop continua a ser o principal meio de acesso à Internet, mas o mesmo não se verifica no que respeita às redes sociais individualmente: o acesso ao Tumblr, Google+, Pinterest, Twitter, Instagram, LinkedIn e Facebook realiza-se em maior número através de dispositivos móveis do que via desktop.

Tendo por base o mês de Junho e dados da ComScore, o AdAge Datacenter revela que o Tumblr foi a plataforma menos utilizada, referindo-se à audiência digital com mais de 18 anos. Já o Facebook fica em primeiro lugar, seguido pelo LinkedIn e Instagram. Por faixa etária, o Facebook foi mais utilizado por pessoas entre os 25 e 34 anos, seguindo-se o grupo entre os 35 e 44 anos. As pessoas com mais de 65 anos são as que menos utilizaram o Facebook, bem como as restantes redes sociais.

Quanto à faixa etária entre os 18 e os 24 anos, o Snapchat é rei, ainda que o número de jovens destas idades, no agora Snap, seja inferior ao presente no Facebook. No que respeita aos adolescentes entre os 12 e os 19 anos, mais de 80% utilizou algum tipo de rede social no ano passado, registando níveis semelhantes aos de 2012. O pico aconteceu em 2013 e 2014.

A nível mundial, o Facebook é a rede social a que as marcas destinam a maior fatia do orçamento para publicidade neste tipo de plataformas, seguindo-se o Twitter e o LinkedIn. De acordo com previsões do eMarketer, o crescimento do investimento publicitário em redes sociais deverá crescer 33,4% este ano, 26,1% no próximo ano e 21,3% em 2018, quando chegará aos 50,4 mil milhões de dólares (44,9 mil milhões de euros).

Por fim, o AdAge Datacenter destaca dados da Forrester relativamente a que acções estão as empresas a levar a cabo no sentido de aumentar a influência e alcance da marca. Quando questionadas, 37% das empresas inquiridas afirma que vai melhorar os seus sites online e mobile e 35% diz que vai começar ou alargar a sua actividade nas redes sociais. Outras respostas incluem melhorar ou mudar a estratégia criativa (33%), melhorar o alcance dos gastos em Marketing (31%) e desenvolver um plano integrado mais forte e multicanal (28%).

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
7 formas para se voltar a apaixonar pelo seu trabalho
Automonitor
História: O dia em que o Papamóvel foi salvo