Na vanguarda do digital

MARKETEER CONTENTS

A celebrar 35 anos, o Ipam aposta há 10 anos em conferir as melhores valências de marketing digital a profissionais que procuram uma formação na área. A caminho da 58. ª edição, a pós-graduação em marketing digital é tida como a mais adequada aos desafios do mercado, estando em constante actualização de conteúdos

Em 10 anos, a Pós-Graduação em Marketing Digital do IPAM já conta com mais de 50 edições, frequentadas por cerca de 1300 alunos, sempre com o intuito de potenciar os profissionais com skills que lhes permitam estar a par das exigências do mercado. Filipe Carrera, coordenador da Pós-Graduação em Marketing Digital do IPAM, faz um balanço extremamente positivo deste programa, considerando-o ímpar no mercado.

«Quantos programas de Pós-Graduação em Portugal podem dizer que, em 10 anos, realizaram 55 edições com mais de 1300 alunos, em Lisboa, Porto, Açores e regime de e-Learning para o mundo de língua portuguesa? Somos líderes de mercado desde o lançamento deste programa, sendo que os profissionais por nós formados têm vindo a assumir posições de liderança na área do Marketing Digital em centenas de empresas em Portugal, Brasil, Angola, entre outras geografias.

Queremos mais ainda, pelo que o caminho passa pela inovação e pela melhoria contínua», explica o responsável do programa. Até ao final do ano, Filipe Carrera espera chegar às 60 edições da Pós-Graduação. E, mais do que somar edições, o foco está em continuar a apostar em conferir aos alunos as melhores competências, vincando, assim, a relevância deste programa no contexto do Marketing Digital.

Em Dezembro de 2018, o IPAM comemorou a 50.ª edição da sua Pós-Graduação em Marketing Digital, contando já com 55. Como vê a evolução deste programa?

Quando iniciámos a primeira edição, em Março de 2010, com uma turma cheia com apenas um mês de promoção, surpreendi os responsáveis da formação de executivos do IPAM ao dizer que estava desiludido. E a razão era simples: para mim era óbvio que o mercado português necessitava urgentemente do programa que oferecíamos e tínhamos apenas 40 alunos quando devíamos ter centenas. O tempo deu-me razão e, actualmente, um profissional das áreas de marketing e comunicação, que não tenha um entendimento profundo do ambiente digital, está obsoleto.

Como tem vindo a evoluir e a adaptar esta formação às exigências do mercado?

A base do sucesso extraordinário deste programa está na adaptação permanente às necessidades de mercado, concebido e ministrado por docentes que são profissionais e estão no terreno todos os dias a trabalhar nas áreas que leccionam. Não temos como docentes “académicos” que um dia fizeram uma tese sobre o Marketing Digital. Os nossos docentes são profissionais que trabalham, vivem e respiram diariamente no ambiente digital.

Que mais-valias confere este programa aos seus participantes?

Destacaria três: o reconhecimento pelo mercado, dado tratar-se de uma Pós-Graduação que vai ao encontro das necessidades reais dos profissionais que a procuram, sendo, por isso, líder de mercado; uma rede de profissionais materializada na nossa comunidade virtual, que conta com cerca de 1300 alunos, antigos alunos e docentes; e a possibilidade de frequentar vitaliciamente os seminários da Pós-Graduação, permitindo uma actualização contínua dos nossos alunos.

E qual o perfil médio dos mesmos?

Temos uma grande variedade de alunos, o que nos surpreendeu, pois quando concebemos este programa pensámos que iríamos ter apenas profissionais das áreas de comunicação e marketing.

No entanto, a transformação digital está a atingir todos os sectores e profissões, sendo que percebemos que os profissionais, independentemente da sua área, idade e habilitações, estão cada vez mais conscientes de que abraçar o digital trata-se de uma questão de sobrevivência profissional.

Por isso, temos profissionais dos 18 aos 65 anos, de múltiplas áreas de actividades, com alguma predominância da comunicação e marketing, trabalhadores por conta de outrem, em transição de carreira e empreendedores.

Quais os conteúdos programáticos desta formação?

Temos uma visão 360 graus do Marketing Digital, pelo que os nossos conteúdos abordam todas as áreas que um profissional nesta área deve dominar, desde Search Engine Marketing a Direito Digital, passando por Social Media, Data Mining e Métricas, Display Advertising, etc.

Quais as novidades que estão a ser preparadas em relação a anos anteriores?

O Marketing Digital é uma área tão dinâmica, que fazemos revisões de conteúdo a cada três meses. Arrisco a dizer que somos a única Pós-Graduação em Portugal que faz revisões tão frequentes. Mais, os docentes têm autonomia para criar e adicionar novos conteúdos após essas revisões, em função das evoluções que surjam entretanto.

Por isso, não podemos falar de novidades em relação a anos anteriores, pois temos novidades todos os meses, apostamos numa adaptação contínua e incremental.

Quais as principais tendências no marketing e negócios digitais para este ano? E de que forma é que este curso procura dar resposta às mesmas?

Como tendências de digital marketing para 2019 destacaria três: o aumento da importância do conteúdo multimédia; ferramentas de automação potenciadas através de inteligência artificial; e a interacção por voz com o consumidor, através de assistentes pessoais e plataformas de comunicação.

Já trabalhamos estas tendências há vários anos na Pós-Graduação, pois o nosso papel é preparar os nossos alunos para o presente e o futuro. O tema da “arqueologia digital” não nos interessa.

Qual a importância dos skills digitais no mercado de trabalho actual, nomeadamente na área do marketing?

Mais do que competências digitais, os profissionais de marketing têm de ser digitais, têm de ser amos da tecnologia e não seus escravos, têm de utilizar a tecnologia para aumentar a sua eficiência e eficácia e não por ser o que está na moda. Temos a tecnologia que nem sonhávamos há vinte anos, mas continua a haver barreiras por parte dos recursos humanos. Nós trabalhamos na transformação digital das pessoas.

Como têm chegado a novos alunos?

Há 10 anos, quando fui convidado para criar esta Pós-Graduação, insisti em promover apenas por meios digitais, o que foi uma inovação no meio universitário, de tal maneira que tive que ser eu próprio a fazer as primeiras campanhas. Graças a essa aposta nos meios digitais, desde o primeiro momento que os novos alunos chegam ao IPAM através das nossas campanhas digitais. Mas também através de uma enorme quantidade de conteúdos em vídeo sobre marketing digital produzidos por docentes, alunos e antigos alunos.

A todos os potenciais alunos, eu convido a conhecer os nossos alunos e docentes através destes conteúdos, que são a melhor prova do nosso compromisso em formar profissionais verdadeiramente digitais.

Que parcerias têm vindo a estabelecer?

Felizmente somos contactados periodicamente por entidades que necessitam de profissionais na área de Marketing Digital e, por isso, temos estabelecido uma infinidade de parcerias com empresas e associações para facilitar o acesso dos nossos alunos ao mercado de trabalho. A título de exemplo, recentemente criámos uma parceria com a Swonkie, empresa portuguesa que criou uma inovadora plataforma de gestão de conteúdos de redes sociais, e permite aos nossos alunos acesso gratuito durante o período de duração da Pós-Graduação.

Que objectivos traçam para o próximo ano lectivo?

Queremos ultrapassar as 60 edições, envolvendo mais de 1600 alunos e aumentar em 100% o número de alunos em regime de e- -Learning, mantendo por 11 anos consecutivos a posição de liderança inquestionável que temos no mercado.

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Pedro Mota Soares assume liderança da Apritel
Automonitor
Novo Skoda Octavia chega dia 11 de novembro