Mercedes com o melhor ano de sempre em Portugal

A Mercedes-Benz comercializou 16.273 automóveis em Portugal em 2017, o que representa um aumento de 6,3% (ou 900 unidades) em relação ao ano anterior e constitui um recorde absoluto para a marca no mercado nacional. Tendo terminado o ano com uma quota de mercado de 7,3%, a marca consolidou o 4.º lugar no ranking dos fabricantes automóveis e a liderança no segmento premium.

«2017 foi um excelente ano para a Mercedes-Benz e para a Smart. Um sinal claro de que o país está a recuperar da crise que nos afectou a todos durante os últimos anos. Na divisão de automóveis, a Mercedes-Benz apresentou o seu melhor ano de sempre em Portugal», afirmou esta tarde Niels Kowolik, CEO da Mercedes-Benz Portugal, durante a apresentação dos resultados à imprensa, que decorreu em Lisboa. O responsável adiantou que a marca «ficou a apenas 200 unidades [vendidas] do terceiro lugar», ocupado pela Volkswagen.

No caso da Smart, a marca comercializou, no ano passado, um total de 3.126 unidades, um aumento de 3% em relação a 2016, e registou uma quota de mercado de 1,4%. Trata-se da maior quota da marca, em termos relativos, em todo o mundo. «Atingimos finalmente a liderança de quota no mercado mundial, ultrapassando Itália, algo que nos fugia há cinco anos e que é um motivo de orgulho para todos», sublinhou Bernardo Villa, director de Vendas e Marketing da Smart.

O modelo Fortwo representou 53% das vendas da Smart em território nacional, enquanto o Forfour teve um peso de 47%. Contudo, o destaque vai para a performance da gama de eléctricos Smart Electric Drive que, apesar de terem sido lançados apenas no último trimestre do ano, teve uma resposta positiva do mercado, com 137 unidades vendidas até ao final do ano. Uma aposta determinada da marca, que a partir de 2020 terá toda a sua gama electrificada, apesar de, para este ano, não estar previsto o lançamento de nenhum modelo eléctrico.

No caso da marca Mercedes-Benz, o destaque vai para o modelo Classe A, que representou vendas na ordem das 4.700 unidades, enquanto a AMG, a sub-marca desportiva do grupo, registou 151 unidades vendidas no mercado português – incluindo o único modelo do super-desportivo Project One AMG disponibilizado em Portugal e que foi arrebatado por três milhões de euros. Em termos de canais, o das frotas manteve-se como um canal preponderante para a marca, tendo representado 52% das vendas globais, com o canal de particulares a atingir 37%.

Novidades para 2018

No ano passado, foram comercializados em Portugal cerca de três mil veículos usados, um novo recorde para a marca germânica, que pretende alavancar a venda deste tipo de produtos para colmatar as limitações ao nível da oferta no mercado nacional. Por isso, a partir deste ano, a Mercedes irá agrupar a venda deste tipo de veículos sob uma nova marca, a Mercedes-Benz Certified, transversal a todo o mercado europeu. «Queremos dar um ênfase especial à certificação, uma vez que estes modelos terão de cumprir mais de 100 parâmetros» para poderem ser comercializados, revelou o director-geral de Vendas e Marketing em Portugal, Nuno Mendonça.

Em 2018, a marca irá ainda reforçar a sua ofensiva de produto, com o lançamento do novo AMG GT de quatro portas (previsto para Outubro), bem como o facelift dos modelos Classe S Coupé e Cabriolet (já em Janeiro), Classe A (Maio) e Classe C (Julho). Já a Smart, que comemora 20 anos de existência, terá uma edição especial comemorativa, com lançamento previsto para Julho. Ao longo destas duas décadas, a marca conta com mais de 63.270 unidades a circularem em Portugal e mais de dois milhões a nível mundial.

Outra das novidades do grupo para este ano será o lançamento de uma nova sub-marca, a Mercedes-Benz EQ, exclusiva para os modelos eléctricos, que começará a ser comunicada ao longo deste ano nos modelos plug-in. Contudo, o primeiro automóvel nativo desta sub-marca apenas será apresentado em 2019, sob o nome GLC. Trata-se de uma versão eléctrica do Mercedes-Benz Classe GL, que terá autonomia para 430 quilómetros. Recorde-se que, até 2022, a marca alemã pretende investir 10 mil milhões de euros no lançamento de 10 modelos eléctricos (sete da marca Mercedes-Benz e três da marca Smart).

Texto de Daniel Almeida

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Page Assessment tem novo Executive manager
Automonitor
Conselhos para conduzir à chuva