Google aperta regras para revendedores de bilhetes

Mais regras e mais transparência. É esta, a partir de hoje, a realidade dos revendedores online de bilhetes para eventos. A Google vai passar a ser mais exigente e obrigar todas estas entidades a serem certificadas.

O objectivo é proporcionar aos utilizadores maior clareza sobre quem está a vender os bilhetes e sobre o custo total dos mesmos, incluindo eventuais taxas associadas. As medidas abrangem plataformas que servem de intermediárias para a venda de bilhetes para concertos, peças de teatro e festivais, por exemplo.

«A falta de transparência pode prejudicar a confiança no ecossistema de bilhetes online e torna mais difícil para as empresas chegarem aos clientes», comenta David Graff, senior director Trust & Safety, Global Product Policy na Google. De acordo com o responsável, são sinco os requisitos para que os revendedores possam obter a certificação necessária para aparecer nos resultados de pesquisa:

1 – Não passarem a ideia de que são o mercado primário;

2 – Revelar, de forma proeminente, que são revendedores de bilhetes/mercado secundário;

3 – Revelar, de forma proeminente, que os preços podem estar acima do valor original;

4 – Disponibilizar o valor total, bem como os detalhes do preço (preço do bilhete + taxas + comissões, por exemplo) antes de pedir dados de pagamento aos utilizadores;

5 – A partir de Março de 2018, os revendedores também vão ter de disponibilizar o valor nominal dos bilhetes juntamente com o preço do revendedor e ambos os preços devem ser apresentados na mesma moeda.

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Portugal atraiu 610 estrangeiros «altamente qualificados» através deste programa
Automonitor
Regulamento da mobilidade elétrica obriga a celebrar contratos de adesão