Destino Portugal

Pedro Ribeiro (grupo Dom Pedro Hotels)

O Turismo, nas suas diversas vertentes, tem sido nos últimos anos o sector de maior promoção da Marca Portugal. Os turistas que nos visitam com as suas variadas motivações (seja sol e praia, cultura, enoturismo, eventos corporativos e associativos, golfe, turismo residencial e outras) são os maiores impulsionadores da nossa marca. Ao retornarem ao país de origem, e satisfeitos com a experiência que tiveram, vão passar a mensagem de um produto de qualidade e com características muito próprias.

Aliado a estes comunicadores orgânicos, da nossa marca, temos todas as forças de promoção do produto Portugal, quer os privados, quer os institucionais (Turismo de Portugal, Associações de Turismo Regional, TAP e outras companhias aéreas), que são vectores de forte promoção do destino em constante comunicação com o consumidor final e com os vários canais de distribuição (operadores de Turismo e agências de viagens), os quais por sua vez regularmente activam Portugal como destíno turístico.

Toda esta envolvência fez com que a notoriedade de Portugal granjeasse uma enorme evolução positiva. Quem visita regularmente os variados mercados emissores consegue aferir as diferenças entre o reconhecimento actual e o que existia há 20 anos, nomeadamente nos mercados intercontinentais, onde o nosso destino era praticamente desconhecido, sendo que até nos europeus tínhamos grande dificuldade de captação.

Experienciando um momento ímpar de reconhecimento internacional e usufruindo das sinergias do Turismo, é a altura das marcas nacionais aproveitarem os fluxos turísticos para criar notoriedade e internacionalizarem- se. A relevância do Turismo, como um dos grandes activadores da economia nacional, sempre foi abordada em fóruns Marketeer de forma sistemática, dada a importância desta actividade para a economia portuguesa e a forma transversal como impactava as empresas nacionais. Se dúvidas existiam, actualmente ninguém questiona esta realidade. É assim chegada a hora de aproveitarmos os fluxos (que em 2022 irão regressar), para promovermos as nossas indústrias, as nossas empresas e os nossos produtos e criarmos valor para a sua internacionalização.

Por outro lado, há que trabalhar a oferta turística para que a experiência de quem nos visita seja de facto única e inesquecível. Criar conteúdos que motivem os consumidores a escolher Portugal na vertente lazer e/ou evento corporativo.

O papel das Associações Regionais de Promoção Turística é, neste aspecto, relevante, desenvolvendo ou apoiando projectos que criem esses conteúdos. Ao sermos agentes activos na promoção da Marca Portugal agregamos valor aos nossos produtos.

É inadiável olhar para o Turísmo como uma actividade de 360º que afecta todos os sectores da economia, aumentando a envolvência de toda a sociedade portuguesa.

Artigo publicado na revista Marketeer n.º 301 de Agosto de 2021

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
A carregar...