Como está o aumento do custo de vida a afectar o nosso bem-estar psicológico?

O agravamento do custo de vida em Portugal está a ter um impacto “muito negativo” na saúde mental. A conclusão é de um estudo da plataforma Fixando, que refere que a grande maioria (83%) dos inquiridos admite um impacto negativo no seu bem-estar psicológico.

Apenas 12% dos inquiridos responderam que a situação económica não está a ter impacto na sua saúde mental. No que diz respeito à avaliação que fazem da sua saúde mental, apesar de 31% afirmar estar “bem ou muito bem”, quase metade (49%) dos inquiridos estimou a sua situação psicológica como “média” e 20% admitiu sentir-se “mal ou muito mal”.

«Estes resultados reforçam a importância de oferecer recursos e apoio adequados àqueles que estão a enfrentar dificuldades em relação à sua saúde mental. É um reflexo da crescente preocupação entre os portugueses quanto à capacidade de lidar com as despesas diárias, o que, por sua vez, afecta o seu bem-estar psicológico», frisa Alice Nunes, directora de Novos Negócios da Fixando.

Além da situação económica, a guerra na Ucrânia também tem preocupado os portugueses, com 67% dos participantes neste estudo a sentir que a sua saúde mental está a ser afectada negativamente pela situação de guerra e pelo estado actual da política europeia, ao passo que 31% afirmou não sentir qualquer impacto no seu bem-estar.

Apesar de tudo, os dados da plataforma de contratação de serviços revelam que a procura por serviços relacionados com saúde mental, como psicólogos ou psicoterapeutas, registou uma quebra de 6% nos primeiros nove meses do ano, face ao mesmo período do ano passado.





loading...