Como acabar com os carrinhos de compras abandonados

Adicionar produtos a um carrinho de compras virtual é simples, rápido e sem custos. No entanto, talvez por isso, nem sempre é um reflexo daquilo que realmente precisamos ou gostamos. Mas é tão fácil que acaba por acontecer, mesmo que em muitos casos não culmine numa compra efectiva.

Um estudo da Forter indica que cerca de 80% dos compradores norte-americanos muda de ideias sobre a aquisição de um artigo depois de já o ter adicionado ao carrinho – muitas vezes, menos de um minuto depois de o terem feito.

Mas a impulsividade não é o único factor a ter em conta quando falamos de abandono de carrinhos virtuais. Os custos de envio também demovem muitos compradores que ao chegar à fase de pagamento percebem que não lhes compensa terminar a compra. Há também quem se deixe desencorajar pela quantidade de passos que consideram desnecessários, desde anexar a fotografia do documento de identificação a repetir os dados do cartão de crédito.

Introduzir um código promocional que não funciona também pode levar a abandonar a compra. Um outro estudo da Namogoo, citado pelo eMarketer Retail, revela que perto de 61% dos compradores digitais dos EUA desiste de uma compra devido a erros ou bloqueios no site.

Andrew Lipsman, analista do eMarketer, explica que colocar artigos no carrinho virtual pode ser uma forma de marcar algo em que se está interessado, mesmo quando não existe uma intenção real de compra. Quando é este o caso, não há muito a fazer, mas os retalhistas têm de garantir que os restantes cenários não se verificam: é preciso assegurar que não existem obstáculos para quem quer, de facto, comprar. Simplificar o pagamento e as opções de checkout é obrigatório.

Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Estes 10 benefícios vão ser os mais desejados pelos colaboradores em 2020
Automonitor
Os peculiares protótipos que a Daihatsu vai levar a Tóquio