Vendas da Nestlé crescem (mas) abaixo do previsto

A Nestlé, a maior empresa mundial de bens alimentares, anunciou que obteve receitas consolidadas de 67,6 mil milhões de francos suíços (cerca de 55,9 mil milhões de euros) entre Janeiro e Setembro, o que representa um crescimento de 6,1% em relação ao período homólogo. A desaceleração das vendas nos mercados emergentes está na origem dos resultados.

As receitas anunciadas pela empresa não contemplam os efeitos de aquisições e flutuações cambiais, e ficam acima dos 60,9 mil milhões de francos suíços (50,38 mil milhões de euros) arrecadados no período homólogo, segundo um comunicado da empresa, citado pelo Financial Times. Ainda assim, a estimativa média de 12 analistas inquiridos pela agência Bloomberg apontava para um crescimento de 6,3%.

O negócio da empresa helvética cresceu 11,7% nos mercados emergentes, contra uma média de 12,9% no primeiro semestre do ano, e apenas 2,4% nos mercados desenvolvidos. A divisão Ásia, Oceânia e África obteve a melhor performance no seio da Nestlé nos nove meses até 30 de Setembro, tendo registado um aumento das vendas na ordem dos 9,4%. No mercado europeu, as vendas não foram além de um crescimento de 1,9%.

Apesar de não ter correspondido às expectativas do mercado, a Nestlé afirma que os resultados anunciados estão “em linha” com as suas próprias expectativas. «Crescemos nos mercados desenvolvidos, onde a concorrência é intensa, e onde se verifica um mal-estar económico generalizado e baixos níveis de confiança dos consumidores. A nossa tendência de crescimento orgânico permite-nos confirmar as nossas previsões anuais», afirmou Paul Bulcke, CEO da Nestlé. A empresa estima ferchar o ano com um aumento das vendas entre 5 e 6%.

Já a rival francesa Danone anunciou, esta semana, um aumento das vendas na ordem dos 5% no terceiro trimestre do ano, o que representa o ritmo de crescimento mais lento nos últimos três anos.

«Houve uma ligeira desaceleração [das vendas] em relação à primeira metade do ano, mas o mercado tem sempre expectativas muito altas sobre a Nestlé. A Nestlé tem tido uma performance muito superior em relação aos seus concorrentes, como a Danone», afirmou ao Financial Times Olivier Müller, analista do Credit Suisse.

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Estes 10 benefícios vão ser os mais desejados pelos colaboradores em 2020
Automonitor
Os peculiares protótipos que a Daihatsu vai levar a Tóquio