UAU compra Teatro Tivoli e reforça produção nacional

uauA UAU encerrou 2011 com a aquisição do Teatro Tivoli, na Avenida da Liberdade, em Lisboa. Garantido pela produtora foi que este espaço continuará a funcionar como sala de acolhimento a outras produtoras, num rácio de 50/50, como informou à Marketeer Paulo Dias, administrador-geral da UAU. «Temos muita produção teatral, e apesar de já termos a gestão do Auditório dos Oceanos, o que é facto é que continuávamos a alugar salas permanentemente, entre a Casa do Artista, o Villaret, o próprio Tivoli… Não fazia sentido continuarmos a pagar rendas podendo nós sermos donos do edifício. Tornou-se oportuno agora e foi por isso que o comprámos», adianta o responsável, sem revelar os valores envolvidos na concretização do negócio fechado em Dezembro. Este passo permitirá ainda à UAU incrementar a sua produção teatral. Recorde-se que no ano passado, e no que toca a projectos nacionais, a produtora teve em cena 55 espectáculos, em 328 sessões, vários deles em digressão por mais de 35 cidades. Números que se inserem num plano estratégico de descentralização, que se poderá estender a mais duas ou três cidades do País, como explica Paulo Dias, estando esta questão dependente de avaliação com as respectivas câmaras municipais. Ainda no que respeita à produção nacional, esta será alvo de um incremento de 40 a 50%. Quanto à produção internacional, a UAU foi responsável por trazer a Lisboa, no ano passado, 10 produções, que se dividiram por 172 sessões. Este ano o aumento de projectos internacionais, e como salienta Paulo Dias, será de 10%.

Revelado à Marketeer foi também o interesse noutras salas do País. «Temos há algum tempo – e agora vai tornar-se mais evidente – algum interesse no Porto, principalmente porque o volume de peças de teatro que vamos fazer em Lisboa vai provocar muitos espectáculos de digressão», adianta Paulo Dias.

Recorde-se que além da concepção, produção e promoção dos seus espectáculos a UAU conta já no seu historial com experiência em gestão de espaços culturais. De facto, a produtora foi durante uma década responsável pelo Teatro Villaret e tem actualmente sob sua gestão o Auditório dos Oceanos, no Casino Lisboa. Quanto ao novo projecto da Avenida da Liberdade, Paulo Dias afirma: «Este é um passo medido. Temos bastante experiência na gestão de espaços e na produção. É por isso que acreditamos que não vai ser um projecto difícil de gerir, de manter.»

pub


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...