Sócrates dá liderança à RTP

RTPA entrevista ao antigo primeiro-ministro José Sócrates foi o programa de televisão mais visto de quarta-feira, dia 27 de Março, registando uma média de 1,6 milhões de espectadores, avançou esta manhã na sua página de Facebook Paulo Ferreira, o director de Informação da RTP.

De acordo com os dados da GfK, a entrevista “O Fim do Silêncio” de José Sócrates, que durou sensivelmente uma hora e meia e foi conduzida pelos jornalistas Paulo Ferreira e Vítor Gonçalves, gerou uma audiência média de 16,7% e um share de 30,1%. Estes dados significam que cerca de um terço das pessoas que ontem viram televisão entre as 21h e as 22h30 estiveram sintonizadas na RTP1. Aliás, segundo o jornal Expresso, já o Telejornal da RTP1, emitido imediatamente antes da entrevista, beneficiara do “efeito Sócrates” sendo o quarto programa mais visto do dia, com mais de 1,2 milhões de telespectadores.

Ainda de acordo com dados da GfK, o segundo programa mais visto do dia foi a telenovela Dancin’ Days, da SIC, que gerou uma audiência média de 1,5 milhões de telespectadores. Já a telenovela Louco Amor, da TVI, ficou em terceiro, com 1,4 milhões.

Comparando com a quarta-feira anterior (dia 20 de Março), a audiência média da RTP1 subiu ontem 4,8 pontos percentuais, passando de 13,1 para 17,9%.

Sócretes vs Cavaco Silva

Um dos momentos mais comentados da entrevista de ontem diz respeito às relações entre o ex-primeiro-ministro e o Presidente da República.

Sobre a acusação de “falta de lealdade institucional”, lançada contra José Sócrates pelo Presidente da República, o antigo primeiro ministro considerou ser um comportamento “extraordinário” de Aníbal Cavaco Silva, o de lhe dirigir um tal “ataque pessoal, escrito” um ano depois de ter deixado funções. Durante a entrevista José Sócrates acrescentou: «Não reconheço ao senhor Presidente da República nenhuma autoridade moral [para lançar essa acusação]». E explicou que nasceu «na casa civil da Presidência da República uma conspiração» para derrubar o Governo de então com a “invenção” de que o Governo estaria a espiar a Presidência da República.

Até ao momento o Presidente da República não fez qualquer comentário à entrevista do antigo primeiro ministro. Aliás, hoje, horas depois das declarações de José Socártes, o Presidente da República colocou um post no Facebook em que ignorando as polémicas do dia anterior enumera as visitas que fez nas últimas três semanas a empresas: «Cerealis, em Lisboa, Sousacamp, em Vila Flor, Frucar, em Carrazeda de Ansiães, Leica, em Vila Nova de Famalicão, Symington, em Vila Nova de Gaia, e Gelpeixe, em Loures. Empresas que investem, inovam, apostam na qualidade e criam emprego. Empresários com espírito de iniciativa e confiantes no futuro do País.»

Ler Mais
pub


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...