Setembro 2018

Tema de Capa

Marcas com arte

Da marginalidade ao culto. Ou do underground a manifestação artística. A Arte Urbana está aí, ganhou espaço e espaços, conquistou cidades, sentou-se em museus e ocupou festivais. Recomenda-se e é recomendada.

Transgressão e marginalidade ultrapassados, a Arte Urbana chamou a atenção de entidades públicas e privadas. Se câmaras municipais e associações culturais têm chamado artistas a intervir em espaços públicos, prédios e fábricas vazios, também as marcas despertaram para este território comunicacional, que deixou de ser apenas e só alternativo e falar unicamente para os jovens.

EDP, Federação Portuguesa de Futebol, SEAT, Strongbow ou Super Bock são apenas algumas das marcas – trabalhadas nas páginas que se seguem da Marketeer – que estão com artistas e com a Arte Urbana. Mas há mais, muitas mais. Em movimento de continuidade ou intervenções pontuais.

Pessoas

Levar as empresas portuguesas a todo o mundo, entrevista a Bernardo Correia, country manager da Google Portugal

Casos

Feeders dá corpo a espaços efémeros

Estes “velhotes” dão espectáculo

Ao pescoço dos vencedores com a 4Teams

Momentos eternos a aguarela

Marcar um estilo a partir dos pés

Estratégias

Aos 44 anos, a Zara reinventa-se

Cinema para pensar, que dá que falar

BPI é reforço de Verão

Preço dos automóveis aumenta em 2019?

Estudos

Impacto das redes sociais nas crises de reputação?

Comunicação

Pub à Lupa

Fórum Comunicação: Híbrido entre o humano e o digital

IKEA: “Não há casa como a nossa”

A campanha da minha vida

Lifestsyle

Casa Lisboa + Saraiva’s + SEAT Arona + Gadgets

Cadernos especiais

Regresso às Aulas + Águas e Sumos + Ciclismo + Omnicanal

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
A carregar...

Multipublicações

Human Resources
Estas 85 empresas procuram mais de 2500 novos talentos
Automonitor
Já conhece o “novo ingrediente” de Gordon Ramsey?