Restauração: 36% das empresas poderá abrir insolvência

O desconfinamento pode ter sido uma boa notícia para as empresas de restauração e bebidas, mas os resultados ainda não são os mais animadores. De acordo com um inquérito da AHRESP, cerca de metade das empresas que já reabriram ao público estão a registar uma facturação média abaixo dos 10% das receitas habituais e 36% pondera mesmo avançar para a insolvência.

Segundo o estudo da associação do sector, 54% das empresas inquiridas teme não conseguir suportar os encargos habituais (pessoal, energia, fornecedores e outros) neste mês de Junho. Além disso, 16% não conseguiu efectuar o pagamento dos salários em Maio e 15% só o fez parcialmente. E se mais de 90% das empresas não efetuou despedimentos nos últimos três meses (Março a Maio), 73,5% diz não saber se vai conseguir manter todos os postos de trabalho até ao final do ano.

De acordo com a AHRESP, para as empresas do sector do alojamento turístico, o cenário é «igualmente preocupante», uma vez que 49% continuavam encerradas no final do mês de Maio. «A tradicional “época alta” será devastadora, com 30% dos inquiridos a perspectivarem uma taxa de ocupação máxima de 25%. Perante este cenário, 18% das empresas de alojamento pondera avançar para insolvência», revela a associação.

O inquérito da AHRESP foi realizado às empresas entre 31 de Maio e 3 de Junho e baseia-se em 1.510 respostas válidas.

pub


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...