Renova reforça produção e suspende o papel higiénico preto

O papel higiénico é, de longe, o produto que mais tem sido comentado e comprado no meio deste surto, em resultado de um movimento verdadeiramente viral com origem na Austrália – país que, não sendo produtor de papel, temeu pelo seu fornecimento!

Por cá, o nível de procura sem precedentes levou o principal produtor, a Renova, a ter que alterar alguns procedimentos ao nível de gestão, produção e logística. Nomeadamente, deixou em stand by a produção de papel higiénico preto, o produto mais icónico da marca, tendo-se optado por aumentar até ao possível a capacidade de produção das várias linhas, para colocar no mercado produtos com maior procura.

Em paralelo, foram optimizadas as cadeias de logística, em todos os países em que a marca está presente, com particular destaque para Portugal, Espanha e França.

«Neste momento temos implementado na Renova um plano de contingência nas instalações fabris e administrativas (escritórios), que é actualizado em função das indicações/recomendações das entidades oficiais responsáveis, nomeadamente da Direcção-Geral de Saúde (DGS). Plano que tem por objectivo proteger as nossas pessoas e os centros de produção, no sentido de os manter em pleno funcionamento. Internacionalmente, verificámos um aumento significativo de encomendas dos clientes, bem como um crescimento de vendas online. A nível nacional constatamos um reforço de vendas. Neste momento estamos focados no cumprimento rigoroso do referido plano de contingência e em responder às solicitações dos nossos clientes», informa fonte oficial da Renova.

Texto de M.ª João Vieira Pinto

Artigos relacionados
Comentários
A carregar...