Pfizer: Inovação que transforma a vida dos doentes

MARKETEER CONTENTS

O desenvolvimento de uma potencial vacina para a prevenção da Covid-19 tem estado entre as prioridades imediatas da Pfizer. A comemorar 65 anos em Portugal, a empresa quer continuar a liderar a investigação de terapêuticas inovadoras.

A Pfizer e a empresa alemã BioNTech estão a trabalhar em conjunto para rapidamente avançar com múltiplas vacinas-candidatas, baseadas na plataforma de vacinas mRNA da BioNTech, para a fase de ensaios clínicos em humanos, com o objectivo de desenvolver uma potencial vacina para a prevenção da Covid-19.

Esta colaboração vai igualmente ser potenciada pela extensa capacidade da Pfizer na investigação e desenvolvimento (I&D) de vacinas, pela sua experiência na área regulamentar e pela sua rede global de fabrico e distribuição. As duas empresas irão conduzir conjuntamente ensaios clínicos para estas vacinas-candidatas, inicialmente nos Estados Unidos e na Europa, tendo obtido recentemente aprovação regulamentar para o ensaio clínico de fase 1/2 na Alemanha.

Segundo Paulo Teixeira, director-geral da Pfizer Portugal, as duas empresas vão trabalhar em conjunto de forma a «aumentar a capacidade de produção para, posteriormente, dar resposta à necessidade originada pela pandemia e para disponibilizar, se for aprovada, a vacina em todo o Mundo».

Além de estar na linha da frente da investigação e prevenção sobre a pandemia, a Pfizer colocou em marcha um plano de contingência para proteger a saúde e segurança dos seus colaboradores. Em Portugal, desde 13 de Março – ainda antes de ser decretado o estado de emergência nacional – que todos os mais de 200 colaboradores da companhia estão em regime de teletrabalho e todas as participações em congressos nacionais e internacionais foram suspensas. A empresa farmacêutica – que conta com mais de 90 mil colaboradores, 40 fábricas próprias e 200 fornecedores à escala global – implementou também diversas medidas para assegurar o fornecimento contínuo de medicamentos e vacinas.

Aumento da produção, ajustamento da procura para os medicamentos mais necessários, autorização de horas extraordinárias em muitas fábricas, melhoramento dos processos de gestão de encomendas e controlo de logística foram algumas das medidas tomadas pela empresa para responder a estes tempos de maior exigência. No campo da responsabilidade social, a multinacional norte-americana, através da Pfizer Foundation, assumiu o compromisso de doar cerca de 40 milhões de dólares para apoiar as necessidades das comunidades mais afectadas pela pandemia da Covid-19 em todo o Mundo.

Estes donativos complementam os investimentos da Pfizer em I&D no âmbito do novo coronavírus, bem como o financiamento, no valor de cinco milhões de dólares, de iniciativas independentes de projectos na área do diagnóstico, tratamento e gestão global desta doença, através do programa Pfizer Global Medical Grants (que inclui Portugal). «No nosso País, estamos a trabalhar lado a lado com as instituições nacionais – como, por exemplo, a plataforma “Todos Por Quem Cuida”, criada pela Ordem dos Médicos, Ordem dos Farmacêuticos e Apifarma – no sentido de identificar as maiores necessidades dos profissionais de saúde, fazendo chegar aos hospitais e centros de saúde os materiais necessários», sublinha Paulo Teixeira. Com mais de 170 anos de existência, a Pfizer posiciona-se como uma das maiores empresas farmacêuticas do Mundo, tendo registado um volume de negócios de 52 mil milhões de dólares em 2019.

Actualmente, a empresa sediada em Nova Iorque conta com 95 projectos de investigação em curso – entre os quais 58 novas entidades moleculares, 34 novas indicações e três biossimilares -, com um enfoque nas áreas da oncologia, medicina interna, inflamação e imunologia, doenças raras, vacinas e anti-infecciosos. No que diz respeito à operação da Pfizer no mercado português, onde está presente desde 1955, tem seguido o posicionamento global da empresa, nomeadamente no que toca às áreas terapêuticas prioritárias.

Só nos últimos dois anos, a Pfizer Portugal disponibilizou 10 novos medicamentos e indicações terapêuticas, em áreas tão diversas como a oncologia, imunologia e inflamação, cardiovascular e anti-infecciosos. «O desafio que vivemos é garantir que todos os doentes em Portugal tenham acesso ao tratamento que necessitam, quando necessitam, independentemente do local onde são tratados», garante o responsável.

“Inovação que transforma a vida dos doentes”, é este o propósito que sustenta o posicionamento que assumem no mercado. «Na Pfizer, acreditamos que só as empresas biofarmacêuticas capazes de criar valor significativo para os doentes irão prosperar. É essa a razão para uma renovada ênfase no nosso propósito. Um propósito claro, que define quem somos como empresa e que guia a nossa cultura, orientando tudo o que fazemos e inspirando os nossos mais de 90 mil colaboradores em todo o Mundo», frisa Paulo Teixeira.

«A Pfizer existe desde o primeiro momento para melhorar a saúde e o bem- -estar das pessoas em todas as fases da vida. Ao longo destes anos, temos trabalhado para ser uma voz activa com vista a um futuro melhor », reitera. Apoio à investigação e à comunidade No mercado português, a Pfizer assume, desde o momento em que entrou no mercado, o compromisso de apoiar a comunidade científica local. Criados em 1956, os Prémios Pfizer são os mais antigos prémios de investigação biomédica em Portugal, resultando de uma parceria entre a empresa farmacêutica e a Sociedade de Ciências Médicas de Lisboa, com o objectivo de contribuir para a dinamização da investigação em Ciências da Saúde.

«Estes prémios têm marcado, de uma forma positiva, a investigação que se faz em Portugal, distinguindo os melhores trabalhos de investigação básica e clínica, elaborados (total ou parcialmente) em instituições nacionais por investigadores investigadores portugueses ou estrangeiros», refere o director-geral da Pfizer Portugal. Todos os anos, os Prémios Pfizer distribuem um valor monetário no valor de 25 mil euros para cada um dos projectos vencedores em cada área. Até ao dia de hoje, os Prémios Pfizer foram atribuídos a cerca de 700 investigadores, tendo sido premiados mais de 225 trabalhos.

«É difícil pensar num grande cientista em Portugal que não tenha sido distinguido com um Prémio Pfizer», comenta Paulo Teixeira. Já no campo da responsabilidade social corporativa, a Pfizer Portugal está comprometida em consolidar a sua actuação na educação para a saúde, nomeadamente através do apoio a associações de doentes e em iniciativas de prevenção e literacia para a saúde (veja caixa).

O objectivo é o de continuar a promover e facilitar o acesso a cuidados de saúde de qualidade, incluindo medicamentos e vacinas. Estratégia para o futuro A Pfizer procura assumir-se como um parceiro de eleição nos cuidados de saúde, quer em Portugal quer nos restantes países onde está presente. Com uma vasta diversidade e abrangência de portefólio de medicamentos e vacinas, bem como um elevado investimento em actividades de I&D, a companhia procura promover soluções que contribuem para prevenir e tratar as doenças mais críticas do nosso tempo e responder a necessidades médicas não atendidas.

Neste âmbito, a Pfizer define três áreas que se enquadram na sua estratégia para os próximos anos: «Assegurar o acesso atempado aos nossos medicamentos inovadores e vacinas em Portugal, liderando as áreas terapêuticas onde actuamos; distinguirmo- -nos pela inovação e excelência, sendo um parceiro importante no diálogo sobre a saúde no nosso País; e garantir a retenção e a atracção dos melhores talentos, sendo reconhecidos como uma das melhores empresas para trabalhar no sector farmacêutico», explana Paulo Teixeira.

«A Pfizer tem hoje um dos mais fortes e promissores pipelines da nossa história, que perspectivamos poder vir a disponibilizar à nossa população no decorrer dos próximos anos», conclui.

Ler Mais
pub


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...