Pandemia abala consumo: 1 em cada 3 portugueses não consegue suportar despesas extra

A crise económica decorrente da pandemia está a alterar o poder de consumo dos portugueses. Os mais recentes dados do Observador Cetelem mostram que um em cada três portugueses não está capaz de suportar despesas extra e que 42% sente até dificuldades no pagamento de despesas fixas (como habitação e luz ou água) – valor mais elevado desde o início da pandemia (eram 34% em Junho de 2020).

Este cenário poderá ter consequências negativas para todas as empresas que não fornecem produtos ou serviços considerados essenciais. Perante as dificuldades sentidas, 28% dos inquiridos já cancelou ou renegociou contratos de serviços e produtos.

Ainda assim, de acordo com os mesmos dados, a trajectória parece ser de alguma recuperação: embora metade dos inquiridos afirme ter dado menos importância a produtos que não sejam de primeira necessidade durante o confinamento, a realidade agora é outra. Em pleno desconfinamento, mais de metade dos que adiaram aquisições admite retomar as suas compras.

“O contexto pandémico sem precedentes que Portugal atravessa já dura há mais de um ano e com ele trouxe uma grave crise económica que afectou a vida dos portugueses. Por conseguinte, mudaram-se hábitos de consumo e vários planos agendados para 2020 e 2021 têm estado adiados, à espera de um contexto mais favorável para a sua retoma”, sublinha o Observador Cetelem em comunicado.

No geral, apenas 22% dos portugueses – e das classes mais altas – tem projectos de vida planeados para o ano de 2021: 4% quer ter filhos, 4% quer mudar de casa e 4% planeia sair de casa/juntar-se com o namorado/viver sozinho. Há ainda quem pretenda mudar de emprego (3%), casar (2%) ou investir num negócio próprio (2%).

 

Ler Mais
pub


Artigos relacionados
Comentários
A carregar...